quarta-feira, 25 de abril de 2012

O quadrado que reluzia, e aos meus olhos hipinotizava


Gerações foram e serão criadas nos braços da tevê, ela faz parte da minha educação e da sua também.
Portanto, negando ou não, uma porção poderosa do que te compõe, bom ou ruim, se deve em parte a ela.

 A minha homenagem.

A alguns anos atrás, ouvimos cientistas afirmarem, categoricamente, que não existe nada sobre a face da terra mais chamativo para os ouvidos humanos do que choro de criança. Este som, alerta nossos sentidos, desatento, para o rebento que pede socorro. Isso é natural. Isso é a natureza nos nutrindo de armas para a vida.
Porém, durante anos, bebês choraram e os pais não ouviram. Estavam ocupados demais assistindo ou discutindo questões levantadas pela tevê.
Em poucos anos, impérios ascenderam ou decaíram; Tudo palidamente noticiado pelo quadro brilhante, exposto no altar da sala, reverenciado por zumbis atentos e obedientes.
O império da tele-mãe, nunca ruirá, sólido feito rocha, inabalável... Pensando bem! Espere.
Oh! Meu Deus! Surgiu no horizonte uma inimaginável segunda opção. A internet (* Leia-se redes sociais,etc...).
Não que eu seja contra um e a favor do outro, claro que aceito o fato de que qualquer um dos dois pode agir como desagregador ou agregador do ambiente familiar, dependendo do contexto em que se insere ou do mau uso que se faça deles.
Inegável, isso sim, é a certeza de que a tecnologia quebra qualquer paradigma.







Há dias em que venho lendo textos críticos sobre a TV e hoje passando no blog do amigo Byjotan, me deparo com essa crítica dele, que acredito todos concordarem.
Esse texto nos faz refletir e ver que a TV assim como a internet tem cada dia mais afastado as famílias do convívio diário. 
Cadê aquela família que joga com seus filhos, fazem refeições juntos, trocam ideias de trabalho, de estudo? 
Ninguém tem mais esse tempo, pois o tempo urge em cima da busca do "ter" e quem quiser que seja alguma coisa.
Meu filho mais velho já nasceu na era internet, mesmo assim eu o fiz brincar de carrinho, de bola, andar de bicicleta, porém chegou um tempo em que ele mesmo não quis mais e foi em busca de se igualar aos amigos que todos os dias falavam do jogo tal na internet, informações, control c e control v e por aí vai.
Como podemos fazer para resgatar um pouco, um pouquinho desse aconchego que é a família unida?
Vou passar a minha dica que funciona bem aqui na minha casa, com as crianças, principalmente:
-Todas as refeições fazemos juntos, sentados na mesa com a TV desligada.
-Jogos tem seus dias e horários estipulados.
-Sempre saímos nos finais de semana para a praia, ou parque, ou casa de amigos, familiares.
-Jogamos jogos de tabuleiros.
-Todos apreciam uma leiturinha, entre outras coisinhas que a imaginação vai dando conta.


Mas ainda assim, há momentos em que cada um está com um aparelho ligado e a preferência é sempre a TV.


E você, acha que a TV e a internet é um corte no diálogo e aconchego da família?


Recomendo a leitura de "A TV que a gente vê" do blog Sem medida de Lúcia Soares


Xeros


Imagem retirada do Google

74 comentários:

  1. Sensacional o seu post Karlinha! Tb acho que dá para entrar na modernidade onde é saudável fazer parte dela, mas sem esquecer da base, do amor, do carinho, da atenção, do velar... ;)
    Beijo, beijoooo
    She

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é She, aqui a tecnologia tomou conta, mas vou resgatando os valores familiares até onde posso.

      Excluir
  2. Acredito que é preciso saber dosar.Para tudo, EQUILÍBRIO e MODERAÇÃO!

    Podem usar os dois, sabendo que não são as figuras mais importantes do dia! beijos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas, nessa era temos que dosar e aproveitar os dois.

      Excluir
  3. Olá Karlinha!!

    Acredito que ficar longe da técnologia nos tempos atuais é quase impossivel mas tem que existir equilibrio!! Suas dicas são adoráveis, criar atividades juntos, debater assuntos e passear, é tudo de BOM!!!

    Beijinhos Iluminados!!
    Paz e Luz!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karlinha, temos que ter equilíbrio para não deixar que as tecnologias invadam nossas vidas. Claro que é papel da família estabelecer tempo e programação, afinal crianças não sabem se conduzir, têm que ter orientação.
      A "culpa" fica sendo nossa mesma, de engolir essa programação da TV ou de deixar que a internet tome conta de nossas horas. Para mim, criança de menos de 7 anos nem deveria passar perto de um computador ou de jogos eletrônicos.
      Obrigada por colocar o link da minha postagem aqui. Você é uma xerosa! beijo!

      Excluir
    2. Ro, e pior que eu não vivo sem essa tecnologia. Desde os anos 90 que estou nessa rede e sem ela fico perdida. kkkkkk

      Excluir
    3. Lúcia, o meu primeiro filho demorou para entrar na internet, mas o mais novo, já nasceu com o PC no colo.
      Buáááááá
      Mas vou tentando desviar a atenção dele pra outras coisas. Ele adora ler e fico entupindo ele com revistinhas em quadrinhos, livros de histórias entre outros.
      Eu que agradeço seu carinho.
      Xeros

      Excluir
  4. Karlinha
    verdade, fugir dessa dura realidade é fogo. Acho a tecnologia tem suas coisas boas e ruins, ainda bem que quando a filhota era pequena não tinha muito acesso ao computador. Mas, tv sempre gostou, mas nunca foi "vidrada". Sempre é legal, quando há o equilíbrio em tudo.

    Beijos, Sheyla.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí Sheylinha, equilíbrio acima de tudo.
      (vou tentando) kkkkkkk

      Excluir
  5. Oi Ana Karla!
    Eu assino embaixo! Se não souber usar com parcimônia vai para o ralo toda a socialização. Cada um se fecha em seu quarto, fica hipnotizado diante no computador e lá vai a vida passando. Aqui sempre fizemos refeições juntos e sem TV, sempre. Meus filhos brincaram o quanto puderam, ainda não havia internet. Suas dicas são bem saudáveis e quem está com flhos pequenos principalmente deve segui-las.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E assim eu vou tentando manter a socialização aqui dentro de casa, senão, como você disse, vai tudo pro ralo.

      Excluir
  6. Oi amiga, li o blog da Lúcia e gostei muito da postagem dela, concordo que a tv e a internet possam separar, mas vai da educação das pessoas, dos pais em saber o que é melhor ou não, educar e manter a família junta.
    Sempre sou a favor da internet porque para mim é uma ferramenta apenas, mas considero também um vício, difícil, mas não sei mais viver sem ela.
    Beijos, Mauro

    Ainda com a interface antiga, mas da vez que veio a nova, voltei a alterar para a antiga.
    Aqui com a conexão a meia boca, não sei se devido a um aparelho de telefone ou se o problema está além da casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mauro, eu sem internet não sou ninguém. Que meus filhos não me leiam. kkkkkkkkkkk

      Excluir
  7. Não se pode parar o avanço tecnológico. Creio que o que é importante é buscar o equilíbrio buscando manter com a família o diálogo necessário para encontrar-se a melhor forma para mante-la mais mais unida.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas Élys. É esse equilíbrio e consciência que está faltando em muitos.
      Vamos dialogando.

      Excluir
  8. Fico extremamente feliz em ter você no meu blog. Pois é uma blogueira que admiro e respeito. Quanto ao tema em questão. Apesar do evidente lado negativo, motivo dos nossos post´s, e que as vezes nos choca, a tecnologia propicia encontros magníficos que certamente seria impossível em outra situação. Grato pelo carinho exposto, divido agora a alegria de compartilharmos do mesmo pensamento.Beijo de amizade e cumplicidade duradoura.:-BYJOTAN.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Byjotan, eu que agradeço a sua presença aqui no blog e mais ainda com um texto em que estamos em sintonia.
      Valeu!!!

      Excluir
  9. Eu acredito que fazendo um acordo com as crianças é possível fazer tudo um pouco. O diálogo é importante em casa e não podemos ficar reféns da tecnologia.
    abraço e uma ótima semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pequi, as crianças dançam com a nossa música, é só colocar ela pra tocar.
      Xeros

      Excluir
  10. Pois é, amiga, a coisa cresceu demais nos últimos anos e meu filho também adorava um joystick nas mãos. Mas, ele só o teve a partir dos 8 ou 10 anos de idade. No entanto, chega uma hora que é impossível dizer não a um jovem, e foi assim sua juventude toda até agora, pois ele ama a internet e fazer música eletrônica por ela. No entanto, ele conhece a boa música brasileira que nós o apresentamos, o bom rock nacional e internacional e adora uma exposição de arte e cinema.
    Ele não é bitolado como muitos jovens o são hoje em dia.
    Mas, para isso, é preciso que os pais estejam atentos, como você, oferecendo saídas, viagens, passeios, livros, cultura.
    Coo diz o amigo Élys, não pode-se parar mais o avanço tecnológico, mas podemos filtrar dentro de nossas casas para um bom equilíbrio familiar.
    beijos cariocas e beijo para sua mãe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Beth, com esse avanço, nós mães dos pequenos temos que correr contra o tempo para a tecnologia não engolir nossas preferências sem dar espaço para passar o melhor para eles.
      Vamos equilibrando ao máximo.

      Excluir
  11. Se vc permitir sim. Temos que ter claro que tanto a tv quanto o cp não funcionam sozinhos temos que ligar ou permitir que sejam ligados. Aqui em casa nenhum dos dois prejudicam o dialogo da família e os momentos juntos.
    Não somos vitimas. Temos livre arbítrio.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graças a Deus Fa.
      Não podemos permitir que nada atrapalhe nosso diálogo em casa. Esses momentos são preciosos e temos que aproveitar.

      Excluir
  12. Oi Ana Karla,

    Parece até que combinamos, também estou falando disso no Palavras. Você disse bem, tanto a TV quanto a Internet podem ser agregadores ou desagregadores. Tudo depende do discernimento para distinguir o que é saudável do que não é.

    Te convido a ler o meu texto: onde está o ninho?

    Beijos

    Leila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leila, já estou lá no Palavras e relembrando o tempo em que ficava horas com minha mãe e irmãos a cantar, contar histórias, jogar...
      Adorei sua atitude de colocar músicas. Contagiou o ambiente.
      Essa ideia é ótima.
      Xeros

      Excluir
  13. bem pensada a reflexão. o problema é a dose, assim penso eu. pq tv, internet, podem ser mto bons se forem bem utilizados. mas ficar na tv vendo desgraça, na net brigando pelo twitter, ah...é desperdiçar a vida rs. e ruim qdo tudo isso vira sinônimo de isolamento entre família...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não gosto de ficar vendo desgraças Ale, no máximo por alto pra saber como anda meu País. Política eu não "saco" nada. Meu marido que vai me informando e assim vou tomando pé das coisas.

      Excluir
  14. Oie querida! Ah que legal! :D Tomara que sua mãezinha goste de Cabra Cega! Obrigada, querida!
    Beijo, beijoooooo!
    She

    ResponderExcluir
  15. Excelente texto Karla!

    Deste risco não corro, temos muitos momentos família... Já li este texto da Lúcia e recomendo também!

    Boas dicas e sugestões!

    Beijoooooooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente Bia.
      Essa é a ideia e que poderia ser resgatada por muita gente.

      Excluir
  16. yes. muito bom. gostei. obrigado pelo tempo gasto na procudaçao do mesmo. Uma sugestão. as vezes produzimos textos no word e copiamos e colamos no blog ai entao ele fica com esta mancha de fundo como ficou seu artigo. eu faço o seguinte quando produzo texto no word e eu quero colar no blog, ou com qualquer citação de outra pagina que quero colocar no meu blog - primeiro copio e depois colo em notas autodesivas do win - ai entao eu copio da notas audesivas e colo no blog - pronto sem manchas de fundos. abraços lamarque

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lamarque, bom dia!
      Adoreiiii a dica do notas autoadesivas do win. Essa eu não sabia e eu de vez em quando faço isso mesmo, construo posts no word e depois copio e colo.
      Embora esse post eu tenha feito diretamente na página do blog, não consigo identificar essa mancha que você está falando.
      Somente a marcação de texto em cinza que foi proposital para marcar o texto do amigo Byjotan.
      Me ajuda aí, por favor. (risos)
      Bom final de semana.
      Xeros

      Excluir
  17. vc usou o termo certo: hipnotizados.O mundo anda assim.Aqui tem horário...
    beijão!!!

    ResponderExcluir
  18. Olá filhota.
    Eu´li A TV que agente vê.
    È isso, o que vamos fazer? escolher alguns programas como fazemos e é só.
    Gostei muito de sua postagem.
    Beijos
    Maria Luiza (Lulú)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu que gosto de TV, já não assisto quase nada,,, fico mais nos filmes.

      Excluir
  19. Talvez tudo seja uma questão de costume. Nos anos 70, pouca gente tinha tv, e os vizinhos assistiam em casa. Parecia uma confraternização. Depois que compraram uma, sumiram de casa. No começo senti falta deles em casa, depois me acostumei. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Carlos, conheço umas histórias parecidas com essa. A vizinha assistia a TV em uma única casa, e depois cada um foi comprando as suas e assim foram se afastando.
      E agora eu que não me acostumo com essa onde de péssimos programas.

      Excluir
  20. Oi linda, tô de férias mas dei um jeitinho de passar nos blogs de quem não me esqueceu e retribuir a visitinha e o carinho.
    Bjs e ótima sexta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Vivi!
      Curta bem suas férias, descanse e depois diz como foi.

      Excluir
  21. Tá demais mesmo essa programação ridícula e pobre...

    Já não vejo TV aberta há tempos...
    É bom compartilhar isso sim, em todas as redes, mas já sabemos que isso não dá ibope. A mente do povo está muito suja e adora aumentar essa sujeira...

    Beijos e xeros....
    Ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  22. Bom dia,Ana!!

    Também penso muito nisso.Mas limites ajuda muito!!!
    Horário para a tv, e internet.
    Tem que ter uma dose certa!
    Beijos pra ti!!
    Bom final de semana!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou totalmente a favor dos limites atuais, aliás acho que são necessários.

      Excluir
  23. A veces se utiliza la televisión e internet para otros fines y es una pena, excelente post, tienes un bello espacio.
    deseo tengas un buen fin de semana.
    un abrazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ricardo.
      A Tv poderia ser melhor aproveitada.

      Excluir
  24. Algo me assusta muito. No outro dia fiquei pasma, dois casais e uma criança, de talvez dois anos ,em um restaurante. Na mesa estava um aparelho eletrônico diante da criança que quietinha ficava olhando o que se passava na tela, os pais conversando com os amigos.
    Acho que os pais têm utilizado os eletrônicos para manterem os filhos ocupados e as relações vão se distanciando.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Norma, essa cena vejo de vez em quando com um casal que conheço que tem um filho. Eles sempre vão ao barzinho e leva seu filhote de 8 anos com o PSP.
      É mesmo assustador, mas é a nova onda.

      Excluir
  25. Concordo que a tv e a internet são instrumentos de ruptura no convívio familiar, mas acredito que pais mais atentos podem se utilizar desse instrumento para introduzir o diálogo. Não é fácil, mas é possível.
    Aninha, tenho andado meio afastada dos blogs queridos, por tantos motivos que nem cabe aqui enumerar. Mas queria saber se tu tens alguma notícia da Dani, do Trocando idéias... Faz meses que ela não posta, não responde emails nem aprova novos comentários. Se souber alguma notícia, me avisa?
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tuka agora que estamos conectada também pelo FB, qualquer notícia de Dani eu te falo.

      Excluir
  26. Olá querida,

    Adorei tua visitinha lá no blog :) seja bem vinda e volte sempre, ok? Seguindo e beijocas

    http://tomatecomacucar.blogspot.com.br
    @tomatecomacucar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada e você também seja muito bem vinda aqui.

      Excluir
  27. Oi Ana, tudo bem? Faz um certo tempo que não tenho notícias da Dani. A última vez que nos falamos foi quando ela me enviou um email para participar do sebo-concurso que fiz lá no blog e isso foi em fevereiro. Vou tentar entrar em contato com ela e te falo se obtive sucesso. bjo

    ResponderExcluir
  28. Oi Ana tudo bem que bom que passou por lá(blog) dei uma simida do blog mas to voltando.
    Ana adorei o post, confesso que aqui somos viciados em internet, e o garoto em TV faço de tudo para comer sem ligar a danada ele reclama que só mas desligo, mas não é sempre.
    As vezes nós os pais é que jogamos o filho em frente a Tv, por preguiça mesmo, olha me deu até ideia pra um post.
    bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que é mesmo, as vezes eu mesma digo pro meu menor ir ver um pouco de tv ...he he he

      Excluir
  29. Será que comentário foi sumiu tudo aqui rs

    ResponderExcluir
  30. Ana,que excelente texto para reflexão!A TV e as redes sociais com certeza distanciam as familias e vc faz bem em preservar certas regras em casa para que se mantenha um tempo de convivio!Gostei demais!bjs e bom domingo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Anne, penso estar certa em impor alguns limites e curtir mais a família reunida.

      Excluir
  31. Realmente a TV deixa as pessoas mais individualistas, uma realidade a parte beijo Lisette.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas, né Lisette?
      Quando chego em um local que tem TV ligada, o diálogo fica limitado, isso quando ainda há diálogo.

      Excluir
  32. Ana, quando meu filho era novo a internet não tinha todo o fascínio de hoje com as redes sociais. Uma coisa é certa, limite é necessário afinal, como alguém já disse em algum lugar, hoje as pessoas se afastam de quem está perto (família) e se aproximam de quem nem conhecem.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Néia, essa é a parte que tenho receio, a aproximação com estranhos e afastamento da família.

      Excluir
  33. Nunca gostei muito de TV e a minha mãe odiava. Daí ela deixava assistir somente duas horas por dia, isso quer dizer, tínhamos que escolher dois programas. Não foi atrito porque não fazia questão. Já a minhas amigas passavam o dia assistindo "sessão da tarde". Vamos dizer que o meu tempo foi melhor aproveitado, porque a TV é ditadora. Já a internet você tem opção para tudo!
    A família que tem boa comunicação e que sabe aproveitar os momentos juntos, não sofre com a escolha de cada um. Tire a TV e a Internet de uma casa e verá todos os habitantes entendiados. Vieram para ficar e melhorar a nossa vida em muitos aspectos, então, não acho que seja ruim uma família conectada. Há mais assuntos além das obrigações, pais e filhos podem jogar juntos, assistir filmes, ouvir música e trocar muitas figurinhas. Qual a diferença entre jogar tabuleiro e jogar pela internet? Não podemos colocar a culpa na tecnologia. Uma família desanda por problemas mais profundos. Vamos refletir, Ana Karla! Você escreveu acima que seus filhos basicamente nasceram com a internet e na minha casa não é diferente. Meus filhos sempre foram ótimos! :) Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que tenho feito Luma, refletir dia após dia sobre a programação oferecida pelas nossas "queridas" emissoras.
      Quando a TV chegou na minha casa, não existia um limite para assistir, pois também não tinha programação por longas horas e a imagem era péssima(risos).
      Gostei da parte em que falastes que podemos trocar figurinhas sobre internet e programas de Tv. Isso eu já faço, mas permitir qualquer programação é que não admito. Não cabe aqui em casa.
      Que bom que sua família tem boa comunicação e aproveitam bem o tempo, mas a grande maioria da população que assistem TV e tem acesso a internet, com certeza não são assim.
      Então vou refletindo e tentando acertar ao máximo para a união familiar permanecer sempre.
      Onde eu puder ajudar e interferir, assim farei.
      Xeros

      Excluir
  34. Bom dia,Ana!!!!

    Bom feriado pra ti!!!!!
    Obrigada pelo carinho!!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  35. Ana Karla, assunto sério, seríssimo. A intenção mesmo é desagregar a família, instituição sagrada, correta, perfeita, que forma pessoas nos valores morais, éticos e sociais, na firmeza do pai e na doçura de uma mãe. Assim caminha a humanidade perdida, e presa dentro de casa adorando no altar doméstico a rainha do lar. Grande abraço e feriado legal para vc. Beijos!

    ResponderExcluir
  36. Oi, Ana Karla!


    Excelente reflexão. A TV e a Internet teem o lado positivo, informativo, amplo, tempestivo, agregador, porém, considero que, em contrapartida têm destruído muitos valores.
    É muito interessante essa sua prática, pois, está dando aos seus filhos a oportunidade de conhecer outra realidade, bem mais saudável. Entanto, hoje, a tecnologia é uma constante em nossas vidas, e o melhor a fazer é nos adaptarmos a ela, procurando não perder de vista os costumes que nos fazem bem.

    Grande abraço
    Paz e Bem!

    Socorro Melo

    ResponderExcluir