terça-feira, 10 de abril de 2012

Expressão idiomática



Expressão idiomáticas, nada mais é do que uma fala popular para expressar algo  em outras palavras.
Dizem que não há tradução para essas expressões.
Abaixo algumas expressões e suas histórias:


Casa da Mãe Joana

A expressão se deve a Joana, rainha de Nápoles e condessa de Provença que viveu na Idade Média entre 1326 e 1382. Em 1346, a mesma se refugia em Avignon, na França. Aos 21 anos, Joana regulamentou os bordéis da cidade onde vivia refugiada. Uma das normas dizia: “o lugar terá uma porta por onde todos possam entrar.” Transposta para Portugal, à expressão “paço-da-mãe-joana” virou sinônimo de prostíbulo. Trazida para o Brasil, o termo paço, por não ser da linguagem popular, foi substituído por casa. Assim, “casa-da-mãe-joana” passou a servir para indicar o lugar ou situação em que cada um faz o que quer, onde impera a desordem e a desorganização.
Dar com os burros N’Água
A expressão surgiu no período do Brasil Colonial, onde tropeiros que escoavam a produção de ouro, cacau e café precisavam ir da região Sul a Sudeste sobre burros e mulas. O fato era que muitas vezes esses burros, devido à falta de estradas adequadas, passavam por caminhos muito difíceis e regiões alagadas e muitos morriam afogados. Daí em diante o termo passou a ser usado para se referir a alguém que faz um grande esforço para conseguir algum feito e não consegue obter sucesso.
De mãos abanando
Na época da intensa imigração no Brasil, os imigrantes tinham que ter suas próprias ferramentas. As “mãos abanando” eram um sinal de que aquele imigrante não estava disposto a trabalhar. A partir daí o termo passou a ser empregado para designar alguém que não traz nada consigo. Uma aplicação comum da expressão é quando alguém vai a uma festa de aniversário sem levar presente.
 - Dor-de-cotovelo
A expressão “dor-de-cotovelo”, muito usada para se referir a alguém que sofreu uma decepção amorosa tem sua origem na figura de uma pessoa sentada em um bar e com os cotovelos em cima do balcão, enquanto toma uma bebida e lamenta a má sorte no amor. De tanto o apaixonado ficar com os cotovelos apoiados sobre balcão, os mesmo deveriam doer. Esta é a ideia por trás desta expressão.

- Entrar com o Pé Direito
A tradição de entrar em algum lugar com o pé direito para dar sorte é de origem romana. Nas grandes celebrações dos romanos, os donos das festas acreditavam que entrando com tal pé, evitariam agouros na ocasião da festa. A palavra “esquerda” significa do latim, sinistro, daí já fica óbvio a crença do lado obscuro dos inocentes pés esquerdos. Foi a partir daí que a crença se espalhou por todo o mundo.
 Fazer Vaquinha
A expressão “fazer vaquinha” surgiu na década de 20 e tem sua origem relacionada com o jogo do bicho e o futebol. Nas décadas de 20 e 30, já que a maioria dos jogadores de futebol não tinha salário, a torcida do time se reunia e arrecadava entre si um prêmio para ser dado aos jogadores. Esses prêmios eram relacionados popularmente com o jogo do bicho. Assim, quando iam arrecadar cinco mil réis, chamavam a bolada de “cachorro”, pois o número cinco representava o cachorro no jogo do bicho. Como o prêmio máximo do jogo do bicho era vinte e cinco mil réis, e isso representava a vaca, surgiu o termo popular “fazer uma vaquinha”, ou seja, tentar reunir o máximo de dinheiro possível para um fim específico.

- Guardado a sete chaves
No século XIII, os reis de Portugal adotavam um sistema de arquivamento de joias e documentos importantes: um baú que possuía quatro fechaduras. Cada uma destas chaves era distribuída a um alto funcionário do reino. Portanto, eram apenas quatro chaves. O número sete passou a ser utilizado em razão de seu valor místico, desde a época das religiões primitivas. Foi assim que se começou a utilizar o termo “guardar a sete chaves” para designar algo muito bem guardado.

- Jurar de Pés Juntos
A expressão surgiu através das torturas executadas pela Santa Inquisição, nas quais o acusado de heresias tinha as mãos e os pés amarrados (juntos) e era torturado até dizer a verdade. Até hoje, o termo é empregado para expressar a veracidade de algo que uma pessoa diz.
-- OK
A expressão inglesa “OK” (okay), mundialmente conhecida para significar algo que está tudo bem, teve sua origem na Guerra da Secessão, nos EUA. Durante o conflito, quando os soldados voltavam para as bases sem nenhuma morte entre a tropa, escreviam em uma placa “0 Killed” (nenhum morto), expressando sua grande satisfação. Foi assim que surgiu o famoso “OK”.

- Onde Judas perdeus as botas
A expressão “onde Judas perdeu as botas” é usada para designar um lugar distante, desconhecido e inacessível. Existe uma história não comprovada que relata que após trair Jesus, Judas enforcou-se em uma árvore sem nada nos pés, já que havia posto o dinheiro que ganhara por entregar Jesus dentro de suas botas. Quando os soldados viram que Judas estava sem seus sapatos, saíram em busca dos mesmos e do dinheiro da traição. Nunca ninguém ficou sabendo se tais botas foram achadas. Acredita-se que foi assim que surgiu tal expressão.

- Pensando na Morte da Bezerra
A história mais aceitável para explicar a origem do termo é proveniente das tradições hebraicas, nas quais os bezerros eram sacrificados para Deus como forma de redenção de pecados. Um filho do rei Absalão tinha grande apego a uma bezerra que foi sacrificada. Assim, após o animal morrer, ficou se lamentando e pensando na morte do mesmo. Após alguns meses o garoto morreu. Foi desta forma que surgiu tal expressão.
- Tirar o cavalo da chuva
No século XIX, quando uma visita iria ser breve, deixavam o cavalo ao relento, em frente à casa do anfitrião. Caso a visita fosse demorar, colocavam o animal nos fundos da casa, em um lugar protegido da chuva e do sol.
Contudo, o convidado só poderia colocar seu cavalo protegido da chuva se o anfitrião percebesse que a visita estava boa e dissesse: “pode tirar o cavalo da chuva”. Depois disso, a expressão passou a significar a desistência de alguma coisa.


Então, essas são ótimas, não?
As duas que falo muito é: "Pensando na morte da bezerra e Tirando o cavalinho da chuva".
Fonte: Opinião S.A.
Imagens retiradas do Google.

27 comentários:

  1. Nossa, eu uso a maioria dessas expressões, mas não sabia das suas histórias. Achei muito legal!
    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Adorei, Karlinha.Essas expressões que usamos tanto e nem ao menos sabemos o motivo. Muito legal, adorei o porquê da "dor de cotovelo" rsrsr
    Humm, visu novo no blog, é?

    Beijokas e boa quarta.
    Sheyla.
    Vai ter novo encontro , Calíope tá arrumando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Sheylinha, estou arrumando o blog que anda muito desleixado. rs
      Estou sabendo do encontro, porém confirmo mais próximo.
      Valeu
      Xeros

      Excluir
  3. Gostei Ana desta curiosas expressões que foram incorporadas na nossa lingua.Algumas bem curiosas.Acho que algumas são mais regionais.Esta pensando na morte da bezerra ainda não tinha ouvido.Creio que voce pode criar uma série delas.
    Grato amiga pela generosidade.
    Carinhoso abraço de paz e luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toninho falo demais essa da morte da bezerra. rs
      Eu que agradeço a sua presença.
      Xeros

      Excluir
  4. Falo várias e adoro as historinhas.
    AMEI ESSE POST!

    ResponderExcluir
  5. Olá Filhota.
    Nós conhecemos e usamos muito essas expressões,mas,
    poucos sabem o significado delas.Realmente, Valeu.
    Beijos
    Maria Luiza (Lulú)

    ResponderExcluir
  6. Muito legal Karla. A presidenta Dilma usou recentemente a expressão "Nós e os EUA, não somos Joãozinho do passo certo" ou seja nos damos bem, mas não concordamos em todas as questões. Gostei das explicações, uso direto algumas. Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gisa, essas expressões são ótimas. As uso frequentemente.
      Eita meu Brasil!!!
      Xeros

      Excluir
  7. Falo todas e não sabia o significado de nenhum, adorei o post.
    bjus

    ResponderExcluir
  8. Adoro essas expressões e utilizo no meu dia a dia muitas delas.

    Beijinhos Iluminados!!
    Paz e Luz!!

    ResponderExcluir
  9. Muito bom post Ana, tem um escritor potiguar Ney Leandro de Castro que fala muito sobre isto no seu livro "As Pelejas de Ojuara" uma verdadeira aula.
    beijão

    ResponderExcluir
  10. Amei seu post amiga!
    É muito legal saber sobre essas expressões
    tão usadas no nosso cotidiano.
    Abraços! Boa noite e um amanhã
    abençoado e lindo pra ti.

    ResponderExcluir
  11. Oi Ana Karla!
    Noooossa falo muito algumas delas. Acho que nordestino gosta disso não é não?rsss
    Que legal saber de onde advém as expressões.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  12. Olá, querida amiga Karla
    Passo para agradecer a sua presença na festa de 100.000 visitantes ao meu blog...
    Só vê a Luz quem a tem no coração...
    Obrigada de coração por ser uma que faz a diferença para o número e a qualidade aumentarem dia após dia...
    Para leitores como vc não poderia agir diferente...
    Venha sempre que puder, tá??
    Formamos um lindo elo do Bem e da Paz...
    Unidas venceremos!!!
    Obrigada por suas visitas que fazem diferença pra nós (eu e o Blog)... sempre nos enriquecendo...
    Seja abençoada e feliz!!!
    Deus nos ama tanto que mal podemos corresponder ao seu Grande e Universal Amor...
    Obrigada pro tudo que me dispensa ao longo desses anos...
    Deus e vcs me dão muito além do que mereço, certamente!!!
    São todos uns amores de delicadeza e sinto bem quem é sincero como é o seu caso e todos os que passaram para felicitar-me...
    DEUS SEJA LOUVADO POR TUDO!!!
    O mesmo lhe desejo de coração...
    A Rede, se usada para o Bem, nos traz muitas alegrias e compensações...
    Obrigada pelo carinho de sempre...
    Bjm festivo de paz e pascal
    P.S. Como estou de "mãos abanando"... vou pra roça daqui a pouco... rsrsrs...

    ResponderExcluir
  13. Adoro expressão idiomática!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Muito legal, já conhecia algumas, mas do Ok não tinha a miníma ideia, para mim era uma expressão de tudo bem em inglês...hahahaha...morrendo e aprendendo...
    paz e bem

    ResponderExcluir
  15. Muito interessante Ana Karla...kkkk.
    Falamos muito isso mesmo...kkkk

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  16. Olá:)

    Essas expressões também são muito utilizadas aqui em Portugal.
    Tornam uma conversa mais engraçada:)

    Bom fim-de-semana!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  17. Olá Aninha!!

    Eu juro de Pés Juntos que vou me divertir esse fim de semana,vou viajar lá por onde Judas perdeu as botas...e ficar pensando na morte da bezerra....kkkk...

    Será que vou dar com os burros N’Água e depois ficar com Dor-de-cotovelo??!!

    NÃOOOOO, pois vou entrar nesse fim de semana com o pé direito!Ok?!

    Desejo que o seu Fim de Semana seja Iluminado e Abençoado!!
    Paz e Luz!!

    ResponderExcluir
  18. Oiee !!!!
    Adorei.....geralmente uso OK-depende do tom da voz é usado para várias situações,kkkkkkkk....
    Agora onde Judas perdeu as botas costumo dizer que moro depois deste local,rs
    bom fds!!
    Bjs♥

    ResponderExcluir
  19. achei MTO interessante Karlinha! legal demais saber a origem dessas frases que tanto a gente ouve e fala. mtas vezes eu tb me pergunto pq a gente usa tal e tal frase. e sempre tem uma história interessante por trás.
    bom fim de semana! bjs e tudo de bom pra vc

    ResponderExcluir
  20. Ana Karla, vivendo e aprendendo, não é?
    Xeros
    Manoel.

    ResponderExcluir
  21. Oi, Ana Karla!
    Estive por aqui e "parei", literalmente, nesta sua pesquisa das expressões idiomáticas, que me fascinam!
    E se falarmos num bom "nordestinês"...
    Hahaha! Poucos nos entenderão por aí afora!
    Maravilhoso!
    Um grande beijo a você!
    Seguindo-a... com muito carinho!

    Karla Mello

    ResponderExcluir