quarta-feira, 18 de abril de 2012

Normal, eu?

Enquanto eu me esforço pra ser uma sujeita normal, me deparo  diariamente com cada uma que me faz voltar a estaca zero e começar tudo de novo.
Começando por vizinhos, fico a pensar até onde ele(a) realmente me considera ou é simplesmente falsidade, a lei do bem viver.
Sou do tipo de vizinha que cumprimento, troco umas palavras, sou gentil, mas nada de ninguém na minha casa, nem eu na casa de ninguém. E assim meus filhos já nasceram com essa regra e nunca vão pra casa de ninguém, mas  gosto dos coleguinhas aqui em casa. 
Na família, me sinto mais ou menos um ET, pois sou de uma geração ligeiramente a menos que meus irmãos e quando o bate papo é relembrar, tem mil e uma histórias "daquele tempo", mas apenas envolvendo os quatros irmãos, eu como caçula fico ouvindo, rindo. 
Minha irmã mais velha tem quatro anos a minha frente e quando eu a estava acompanhando nas saidinhas a noite, ela resolveu casar e eu definitivamente fiquei sozinha. E os outros irmãos tem uma diferença de sete anos, nove anos e dez anos. Hoje na idade adulta estamos todos no mesmo patamar.
No trabalho estou sempre com pequenos alunos batalhando por um sucesso certo. Os acompanho em suas tarefas e dificuldades diárias. Sinto muito, quando por parte da família de cada um, não acreditam muito neles, e eu indiretamente dou uma bronquinha, pois eu acredito no potencial de cada um deles respeitando os seus limites. E assim que tem que ser, não é verdade educadores?
E por aí afora a vida é assim, nunca sei exatamente quando estou falando com alguém de verdade, que pensa de verdade, que age de verdade.


Vamos viver e ser.




Xeros

40 comentários:

  1. Oi Ana,

    Curioso teu post. Porque de certa forma é exatamente como me sinto.
    Ás vezes eu me isolo, porque percebo que as palavras que escuto de certas pessoas, em nada combinam com suas atitudes.
    Então prefiro ficar na minha.
    A experiência ao longo da minha vida, me mostrou que a maioria prefere a falsidade.
    O porquê eu não sei até hoje, e talvez nunca vá saber. Embora também saiba que existem exceções [não creio ser a única criatura que é sincera no mundo...rs]
    Enfim...este trecho disse muito:

    "...E por aí afora a vida é assim, nunca sei exatamente quando estou falando com alguém de verdade, que pensa de verdade, que age de verdade."...

    Assino embaixo!

    Beijo e ótimo dia pra ti :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deia, a sinceridade deveria ser algo natural, mas as pessoas gostam de confundir. rs

      Excluir
  2. Realmente anda difícil conviver na sociedade.Nos deparamos com cada uma que nos dá quase trecos,rsrs beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana,
    Entendo perfeitamente suas palavras!

    ^^

    Menina, vc vai ao encontro domingo?

    Bjusss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calíope, tudo indica que eu vou no encontro, viu?

      Excluir
  4. Olha Ana,
    de perto ninguém é normal mesmo, mas tenho pra mim que a mudança sempre vai começar com a gente mesmo e se a resposta do outro não for a que esperamos que controle temos disso?
    Só garanto pra vc que eu não vou me endurecer por causa da dureza dos outros e olha que ser assim é um trem bem difícil viu?!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Fa, nem eu.
      Pessoas, sejam do jeito que quiserem pois eu sou o que sou.

      Excluir
  5. Ser ou não ser normal, isso importa? Pra mim não o importante é viver bem consigo mesmo.

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Karlinha,é isso assim mesmo, o povo é muito doido!! Cada um com sua doidice. Eu tento ser cordial com todo mundo e falo com todo mundo,mas quem não faz muita questão de falar, eu nem ligo rsrsrs De perto ninguém é normal mesmo.

    Bjokas, sua lindona
    Sheyla.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheylinha, ainda me incomodo com a falta de cordialidade, mas estou aprendendo a ser indiferente. rs

      Excluir
  7. Oi Ana Karla!
    É verdade, penso como você, também não sou de intimidades com vizinhos, cumprimento-os e muitas vezes me deparo com este seu questionamento, até que ponto estou sendo ouvida, o quanto é verdadeiro o que vem do outro, até aqui na blogosfera com pessoas que tenho consideração e nem sempre sinto reciprocidade. Será que isso e normal, será que é carência?rssss
    Beijinhos e boa tarde!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É nada Valéria, acontece com todos, tenha a certeza disso.

      Excluir
  8. Conviver é a arte mais dificil da vida e já o dizia São Tomas de Aquino. A comunicação est´[a se fazendo cada vez mais dificil , até mesmo entre os membros familiares, mas como escrevi no Post A rede, temos formas de nos firmar em afetos e nos sentirmos pertencentes entre famíliares e amigos.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Difícil mesmo Norma, pois eu é que estou me tornando um ser complicado.
      Sou exigente e cobro um certo retorno de gentileza.

      Excluir
  9. É Ana... hoje em dia tá difícil de conviver com algumas pessoas. Mas o importante é que vc vem fazendo bem o seu papel na sociedade e na sua família. Não se sinta um ET perto de algumas pessoas... a diferença entre gerações pode ser boa tbem. bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A diferença entre gerações em relação a mim acho super normal, mas dentro da minha família, mais precisamente entre meus irmãos não é não. Eles estão sempre a citar que são mais velhos e tal, tal, tal. Ah...

      Excluir
  10. Difícil saber como nos conduzir nesse mundo caótico de hoje, onde o individual vale mais que o coletivo, né?
    Você, como educadora, ainda vê mais coisas de perto, pois as crianças estão sendo educadas diferente do ideal, com pais omissos e que delegam à escola a educação que deveriam dar em casa. Imagino o quanto seja desgastante. Mas cada um faz a diferença se puder ajudar, e vamos em frente!
    Beijo!
    (Lulu está boa?)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim Lúcia, o individual está imperando.
      Como minha função na educação desses alunos ainda é superficial, ainda não é desgastante, mas a ladainha é grande.

      Mamy, está melhor, obrigada.

      Excluir
  11. Oi Ana, é a dificuldade de conviver...quem é de verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando saberemos quem são e verdade, não é Marcela?

      Excluir
  12. Oiee!!
    Vishhh o conversa pra dá pano pra manga e o resto da roupa toda... mulher!!
    O bicho homem é complicado por demais.....mas bora e vamo que vamo, pq a vida por si só é boa demais de ser vivida.
    Olhe mulé, te liguei e deixei recadinho no seu cel, visse....agora vc tem o n do meu Batmóvel;)
    Bjkss♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teresoca, não consegui ouvir a mensagem, assim me manda no e-mail

      Excluir
  13. Ihhh....nem sei se o comentário foi ou num foi \o/\o/.....bjs

    ResponderExcluir
  14. Não é ser ou não normal...cada um tem seu jeito de ser, pensar e agir...mas respeitando os outros e sendo respeitados , viveremos sempre bem.
    bjs
    Tina (SONHAR E REALIZAR)
    Estou orando pela Lulú...

    ResponderExcluir
  15. A melhor resposta para esta pergunta, talvez seja outra pergunta.
    O que é ser normal?
    Beijo carinhoso de quem lê seu blog.:-BYJOTAN.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, nesse mundo o que é ser normal?
      Vou pensar. rs

      Excluir
  16. Problemas, Ana?
    Te acho tão fantástica, dada, gosto de trocar palavras contigo, mas é isto minha querida, vamos vivendo, tocando a vida, beijos do amigo, Mauro

    Ah, quero que leia a postagem "Espionagem não!" lá no Koisas e Coisas, e assine a petição no AVAAZ.
    Já fiz minha parte, e como vês, divulgo no meu blog o site deles, confiável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NA verdade Mauro, nenhum problema, mas como sou observadora demais então há ocasiões em que fico a pensar e pensar em busca de respostas para certos comportamentos e vai saindo, indo e dá nisso.

      Vou ler a postagem

      Excluir
  17. Boa Tarde Amiga!
    Hoje em especial
    Parei um pouquinho
    Para trazer o meu carinho.
    E apenas lhe dizer muito simplistamente,
    Muito Obrigado!
    Obrigado por tudo, que Deus esteja sempre com você hoje e sempre e sempre...
    Com todo o meu carinho o meu grande Abraço.
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  18. Acho que cada um enxerga o mundo a partir do próprio umbigo. O mundo é egoísta, Ana Karla. Se você dá festa, estão te paparicando! Mas basta dizer que faltou a cerveja, todo mundo corre! Assim é para tudo! Se você é uma pessoa feliz e sorridente, chove pessoas do seu lado! Se você começa a contar problemas, somem todas. Por isso existe a "Cultura do sorriso". Pessoas querem sorrir para sair bem na foto e vender a imagem de felicidade. O que invariavelmente acontece quando você tem um certo grau de intimidade com a pessoa, o sorriso se esvai e ficam apenas a troca de dores. "Estou com dor de cabeça" "Eu também" ou "Ontem tive uma dor de cabeça daquelas". "Dormi bem" "Não dormi a noite". Ao invés do sorriso, a pessoa sempre estará sentindo mais que nós. Presta atenção!
    Quando era criança, achava que a minha mãe era a minha avó e que minha irmã fosse a minha mãe. Temos uma diferença de quase 20 anos. Sou bem rapinha de tacho!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luma, amei a cultura do sorriso, é preciso praticar diariamente.
      Mas é assim mesmo com os mais chegados, quando sentimos uma dor, eles tem uma maior e por aí vai.
      Xeros

      Excluir
  19. Oi, Ana Karla!
    Tô voltando devagarinho para o carinho da blogosfera.
    Você é uma moça que sabe cuidar bem de sua vida e de sua família, não deve ligar nem um pouco para o que pensam ou falam. Você é 10.
    beijinhos cariocas

    ResponderExcluir