quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Serenata



Bom dia!

Falando mais um pouco de serenata, por interesse de algumas pessoas, segue mais.
Pois bem, serenata são músicas tocadas e cantadas, de preferência a noite, em baixo de uma varanda. Normalmente é dedicada a uma pessoa. Mais comum de homem para mulher.
Eu até diria que é uma "cantada", um "xaveco", mas de forma tradicional.
Lá pelas décadas de 30, 40, 50, os jovens estudantes e recém trabalhadores, costumavam se juntar em grupos para cantar em baixo da janela de moças, fazendo assim uma declaração de amor.

Seresta foi um nome surgido no século XX, no Rio de Janeiro, para rebatizar a mais antiga tradição de cantoria popular das cidades: a serenata. Ato de cantar canções de caráter sentimental a noite, pelas ruas, com parada obrigatória diante das casas das namoradas, a serenata já apareceria descrita em 1505 em Portugal por Gil Vicente na farsa Quem tem farelos?. No Brasil, o costume das serenatas seria referido pelo viajante francês Le Gentil de la Barbinais, de passagem por Salvador em 1717, ao contar em seu livro Nouveau voyage autour du monde que “à noite só se ouviam os tristes acordes das violas”, tocadas por portugueses (espadas escondidas sob os camisolões) a passear “debaixo dos balcões de suas amadas” cantando, de instrumento em punho, com “voz ridiculamente terna”. Fonte: Wikipédia onde continua a história.

Outra fonte da história no site: Trovadores Urbanos


Aqui em Olinda, sempre na sexta feira, costuma ter serenata 


que sai andando pelo sítio histórico da cidade. 


Ah! É maravilhoso, os seresteiros tocando músicas liiindas, 


as pessoas cantando, participando.






Imagem do Google

Encontrei esse vídeo no you tube que mostra um pouco da serenata







Reproduzo também um comentário deixado ontem pelo meu amigo blogueiro Benito de Andrade, que inspirou-me a esse post de hoje:


Eu também fui seresteiro das noites, como canta o grande Amado Batista, e ainda hoje acompanho as serenatas que duas vezes por mês, aos domingos, saem da praça Benedito Leite, aqui em São Luís, percorrendo o centro histórico da cidade, seguida por um grande número de turistas e mesmo por ludovicenses que cantam assim: "Existem momentos na vida
Que lembramos até morrer
Passados tão tristes no amor
Que ninguém consegue esquecer
Carrego uma triste lembrança
De um bem que jurou me amar
Está presa em meu pensamento
E o tempo não vai apagar
Fui seresteiro das noites
Cantei vendo o alvorecer
Molhado com os pingos da chuva
Com flores pra lhe oferecer



Sem mais!


Xeros


19 comentários:

  1. Vai me achar brega, sei que vai, mas eu adoravaaaaaaaaa estas músicas do Amado Batista quando criança (é porque minha mãe ouvia sempre).
    No interior de Minas onde nasci também já presenciei muitas serenatas (tão lindo)!!!

    Já ouvi falar desse movimento dos seresteiros modernos. Aqui em São Paulo tem os trovadores (é assim que chama?).
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Ah, as serenataas...
    Ana, saudades de vim aqui, voltei a postar viu, beijoos...

    ResponderExcluir
  3. Olá Ana Karla. Famosas ficaram as Serenatas de Coimbra, feitas pelos estudantes, da maneira que descreves !
    Ainda hoje se cantam, mas claro, apenas para recordar, sem as destinatárias de outros tempos.

    Xeros
    .

    ResponderExcluir
  4. Muito romantico!
    Falar isso pra maioria dos jovens, eles riem da gente...é pena que o romantismo virou "brega", e o "ficar" tratando as moças como um nada é que é "chique".
    Fico triste quando vejo que o certo agora é errado...e o errado é considerado certo...
    bjs
    Tina (SONHAR E REALIZAR)

    ResponderExcluir
  5. Adoro serenatas, que coisa mais romântica. E eu sou uma romãntica incurável. Karla quando for ao Rio não deve deixar de participar desses encontros de blogueiras, pois é maravilhoso. Promove uma aí entre as blogueiras da sua região. VAi ser muito bacana, tenho certeza. Bjs amiga

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana Karla
    Já recebi tantas serenatas num passado bem distante. Algumas eu gostava, outras morria de ódio, me acordavam, cantavam feio e desafinado.
    Hoje em dia não se vê mais, pelo menos pelas bandas de cá.
    Nas cidades históricas mineiras ainda existem, mais num contexto bem diferente.
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Que maravilha , o romantismo ainda resiste a este mundo cruel.Belissimo post.boa noite Ana
    grande beijo

    ResponderExcluir
  8. Olá filhota
    Nunca tive a oportunidade de assistir uma seresta aí nas ladeiras de Olinda, justo porque a pressão não me permite tal esforço.
    Mas deve ser maravilhoso.
    Um dia arrumo uma companhia e vou registrar.
    Beijos
    Maria Luiza (Lulú)

    ResponderExcluir
  9. Amo serenatas!!!
    Enquanto morei em Belo Horizonte fiz parte de um grupo maravilhoso.
    Tenho tanta saudade!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Aninha querida!

    Que saudade amiga!
    Eu descansei muito nas férias, renovei tudo...estou tranquila e pronta para encarar o que vem por ai!

    Demorei quase uma semana para voltar ao nosso mundinho...mas agora tou aqui! rs

    Um beijo bem grande!

    ResponderExcluir
  11. -Que brega nada LU, música boa, isso sim.
    Chamam assim também, Trovadores.

    -LARY que bommmm, vou la ver novos posts.

    -É verdade RUI, sei que como décadas atrás não tem mais. Meu pai foi seresteiro. rs

    -É uma pena TINA, pois os jovens estão cada dia mais banais,,, sem noção de qualidade de música.

    -Um dia quem sabe GI,,, o encontro pernambucano de blogueiros está sendo preparado. rsss

    -CÉLIA, nunca tive uma coisa dessas,,, ainda sonho um dia, quem sabe!

    -existe sim YASMINE, e se depender de mim, jamais morrerá.

    -MÃE, por falta de companhia não é. Lembre-se, quando estiver por aqui, que te levo de carro para a saída da serenata.

    -Olha só que bommmmm FATIMA! Você tem muito a nos contar...

    -Feliz e muito alegre MARI, com você de volta e cheia de energia.

    XEROSSS

    ResponderExcluir
  12. Minha mãe contava que antigamente quem fazia serenata era considerado vagabundo, assim como todos os boêmios, não tinham boa fama! E que o meu pai vivia correndo da polícia! (rs*) Engraçado como é o sangue, não? Meu filho, sem conhecer o avô ou mesmo das histórias antigas de família, tem o dom musical e por vezes, dobra a noite tocando violão/guitarra.
    Aqui no Estado do Rio, a Cidade de Conservatória é conhecida nacionalmente por causa das Serestas. Você passeia pela cidade e encontra com músicos espalhados nas ruas e bares, cantando e trovando!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ana Karla! Que delícia! Aqui em BH temos o grupo Minas Ao Luar, que já está ficando conhecido nacionalmente. Eles viajam pelo estado inteiro fazendo apreciações de encantar até uma pessoa seca e dura que nem poste. rsrs. Muito bom mesmo! abração. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  14. Ana,

    Vim hoje te dar um beijo especial e agradecer por vc fazer parte da minha historia, tem um selinho para você lá no Canto.

    ResponderExcluir
  15. Bom dia Ana Karla!!

    Deve ser maravilhoso ver a serenata ai em Olinda!!
    Lindas as fotos!!
    Pensei que nem tinha mais serenata!!!Que maravilha que ainda tem por ai!!
    Beijos
    Ótimo final de semana par ti!!

    ResponderExcluir
  16. Belo post, belo blog!!

    Muito bom seu espaço!

    PARABÉNS!

    Convidaria vc a conhecer minha poesia...

    Ficaria feliz demais! http://mailsonfurtado.com

    ResponderExcluir
  17. -Engraçado mesmo LUMA, o sangue diz tudo. Muito bom deve ser, passear e encontrar seresteiros no caminho.

    -CACÁ, vou pesquisar mais sobre as serestas daí,,, aos poucos as pessoas vão mostrando as serenatas de suas terras. Bommmmm

    -CRIS convite aceito e postagem no ar. Obrigada.

    -É sim VIVIAN, e bem sei depois desse post que por todo Brasil tem várias serenatas espalhadas. rssss

    -MAILSON, obrigada pelo elogio e vou agorinha conhecer seu espaço e poesia.


    XEROSSSSS

    ResponderExcluir
  18. Querida amiga Ana.

    Te agradeço pelas visitas e por comentar as postagens do meu blog. Sinto-me linsonjeado por inserir nesta sua postagem o meu comentário. Parabéns ao povo de Olinda por manter viva essa tradição que os mais novos taxam de "brega". Se ser romântico e gostar de coisa boa é ser brega, podem me considerar brega.

    Olhe, eu vou acrescentar mais algumas informações sobre o projeto Serenata Histórica que é realizado pela prefeitura de São Luís através da Secretaria de Turismo.
    O passeio, como já informei, começa sempre no final de semana, às 21:00h, do coreto da Praça Benedito Leite e percorre as ruas e becos do Centro Histórico de São Luís ao som de violões, cavaquinhos e saxofones.

    O objetivo é resgatar a movimentação cultural histórica no Centro. A Serenata Histórica tem a proposta de reviver os bons tempos do Centro Histórico com boa música e entretenimento. É mais uma opção de lazer aos moradores e turistas.

    Ao som de violões, cavaquinhos e saxofones, músicos do conjunto Pipiu e Cia entoam as mais belas letras românticas, além de canções representativas da música popular maranhense e brasileira. Em alguns pontos, como a sede da Prefeitura e na rua do Giz, encenações teatrais são realizadas pelo Grupo Tramando Teatro, e vários outros, envolvendo o público presente com uma mistura de lenda, romance e comédia.

    Grandes clássicos da música romântica ecoam ao som da serenata. Canções como“Carinhoso”, “Eu sei que vou te amar”, “As rosas não falam” e “Esses Moços, Pobres Moços” são algumas que embalam os corações apaixonados. É tudo muito belo. As ruas históricas dão um ar de magia ao passeio. Aliando música e poesia, o passeio Serenata Histórica oferece momentos de emoção e romantismo. Durante o trajeto, atores declamam versos e prosas de poetas maranhenses como Nauro Machado, João do Vale, Ferreira Gullar, Gonçalves Dias, Arthur Azevedo entre outros. Além disso, um guia acompanha o público explicando a origem, arquitetura e lendas de São Luís.
    É bom demais!
    Receba o meu fraternal abraço.

    ResponderExcluir