segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Revelando Papai Noel



Qual é o melhor momento para revelar as crianças que Papai Noel não existe?
Qual a melhor forma?

Sei que há muitas pessoas que acham tudo isso uma grande besteira e respeito.
Mas eu acho uma maravilha.

Um tempo encantado para essa criançada  que passa um ano inteiro esperando o grande momento em ver o Papai Noel, em ganhar o presentinho que aparece de repente na árvore de Natal, na cama.
Acho lindo demais.
Tenho um garotinho de 9 anos que até o dia de hoje acreditava nesse sonho.
Encaminhei a missão da revelação ao meu filho mais velho.
Ele começou a dizer que não existia e que ainda tinha a nota fiscal do presente do ano passado e que iria mostrar-lhe e blá, blá, blá.
Eu fiquei no meu quarto junto com meu marido esperando que ele chegasse para fazer as perguntas.
Aí confirmamos que o papai é o verdadeiro Papai Noel.
Buááááááá
Acabou tudo!
Lembro quando eu era criança e me foi revelado esse momento. 
Foi no momento em que eu ganhava a minha tão sonhada boneca Suzy.
Fiquei com raiva e comecei a gritar que era mentira, mas não lembro de mais nada desse dia.
Mas voltando o dia de hoje, meu filhote recebeu bem a novidade e já está fazendo planos para o novo presente de Natal.
Olhando pelo lado da magia do Natal, esse momento Papai Noel é sempre muito especial, mas nunca esqueço daqueles que passam anos e mais anos esperando pelo velho e bom velhinho e ele nunca chega. Nesse momento eu realmente gostaria que existisse de verdade para poder dar pelo menos um dia de alegria pra essas crianças que também esperam tanto.
Sei também que muitas pessoas do bem conseguem proporcionar um bom momento natalino para muitos.
Então, você que me lê, também pode fazer um Natal diferente para alguém e nessa época é muito importante. Lembrando que quem precisa, precisa o ano inteiro. 

Imagem desse post retirada daqui, que também tem um bom texto sobre o assunto.

28 comentários:

  1. Que post mais gostoso, eu acho linda essa fantasia do Papai Noel, é a única coisa que acho graça na data! ;)
    Beijo, beijo
    She

    ResponderExcluir

  2. Olá filhota,
    Adorei a postagem. Eu não lembro de ter tido papai Noel na minha infância. Era só roupas e sapatos novos, para ir assistir a Missa do Galo, voltar para casa, a ceia estava pronta e depois era só dormir. Dia de ano novo era outra roupa e outro sapato para ir a festa do padroeiro da cidade e pronto.
    No dia seis de janeiro, dia de reis, havia a queima da lapinha. Papai Noel é coisa nova.
    Beijos
    Maria Luiza, (lulú)

    ResponderExcluir
  3. QUERIDA KARLA
    QUE LINDO AMEI A POSTAGEM.Um ABENÇOADO COMEÇO DE SEMANA BEM BACANA PARA VC.
    AGUARDO VC NO MEU BLOG PARA BRIDARMOS O MEU DIA 27 DE NOVEMBRO ANIVERSARIO.
    UM BJ

    ResponderExcluir
  4. Ana Karla, não me preocupo se muitos acham isso bobagem. Eu não acho. É muito importante para a criança a fantasia, a brincadeira, o que para nós é apenas laser, para ela é o seu desenvolver.
    Quando eu tinha 4 anos, fui me esconder de meu pai para que ele ficasse me procurando e ficasse surpreso ao me encontrar. Era uma brincadeira que fazíamos todos os dias e eu variava meus esconderijos.
    Uma vez, próximo ao fim do ano, quem ficou surpreso fui eu. Entrei embaixo de uma das camas para me esconder e encontro (por coincidência, rs...rs!) o presente que eu havia pedido a Papai Noel.
    Corri para avisar meus pais e aí acabaram por me contar a realidade. Eu estava muito desconfiado e mentir seria problemático.
    Acabou sendo aceito numa boa.
    Adorei a postagem. O natal está por aí. Vamos ver o que Papai Noel tem para mim esse ano. Ano passado nosso grupo de oração adotou um monte de crianças para presentear. Esse ano não resolvemos ainda e não devemos deixar para a última hora.
    Xeros
    Manoel

    ResponderExcluir
  5. Oi,Ana Karla!Dúvida cruel essa,mas acho que o papai noel existe sim pra que acredita nessa magia e encanto.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  6. Pois é, Karlinha, o que me segura a ainda gostar um pouco do Natal são mesmo as crianças. Nem me lembro quando meus filhos deixaram de acreditar, mas acho que foi por volta dos 7 anos, os próprios coleguinhas de escola se encarregavam de contar. Eram muitos primos sendo criados quase com a mesma idade e uns iam alimentando a crença de outros. Acho que é uma boa época para se pensar a vida, mas como vc disse, temos que fazer pelos outros menos favorecidos o ano todo. Não gosto da euforia consumista das pessoas, mas gosto de ver a alegria das crianças.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro a magia do papai noel e fico triste quando as crianças deixam de acreditar. Entram na real. Pena, mas é a vida!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  8. Me fez lembrar da Lapônia, terra do papai noel.
    Uma dia passarei por lá hehehe

    :)

    ResponderExcluir
  9. Ah Aninha eu não contei. Deixei que os amiguinhos mais "espertos" o fizessem...acho tão lindo esse imaginário que até hoje utilizo dessa magia. Há anos faço a campanha dos correios, pego algumas cartinhas - dentro das minhas possibilidades - e dou uma de mãe noel. Faz-me bem, muiiito bem.
    Beijuuss e obriagada pelo carinho lá no divã

    ResponderExcluir
  10. Como é dificil responder a sua pergunta. A criança tem um modo todo seu de ver o mundo e as pessoas, mas a realidade chega, não tem jeito, é preciso ser encarada para uma vida mental saudável. Eu lembro que descobri por mim mesmo, quando fui tendo maior entendimento e minhas filhas também.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Ah, você me lembrou uma coisa, eu também fiquei com raiva quando me comprovaram que o bom velhinho não existia, lembro que espinafrei um bocado, mas no final das contas, aceitei a triste constatação e logo depois esqueci.
    Eu acho lindo e importante conservar esta magia nas crianças.
    O mundo anda tão em preto e branco, violento e doído, se pudermos retardar ao máximo esta declaração, muito melhor.
    um beijinho carioca


    ResponderExcluir
  12. Oi Ana, acho bacana essa magia que o Natal exerce nas crianças. Não vejo nada demais em deixá-las acreditar no Papai Noel, mas sem esquecer do real significado da data. E concordo que as crianças tem que ter uma certa idade para saber que o bom velhinho não existe. Aos poucos acho que eles vão assimilando a ideia. bjo

    ResponderExcluir
  13. Gosto desta magia do Papai Noel. É uma pena que um dia é preciso conhecer a verdade!...
    Beijos.
    Élys.

    ResponderExcluir
  14. Oi querida como seria bom se o bom velhinho existisse mesmo, daria alegria a todas as crianças e a nós também. Fiquei feliz quando vc disse que mais tarde faria a brincadeira do MEMO. É a segunda vez que faço a primeira, eu tinha começado a pouco,a pessoa que me incluiu é muito importante para mim foi Anna lIERE, e a segunda foi o Toninho, um amigo apresentado por CACÁ que aos poucos foi ganhando a minha confiança.Um abraço grande para vc. Celina.

    ResponderExcluir
  15. Não me lembro como soube, acho que foi meio natural. Minhas filhas foram descobrindo aos poucos e minha neta ainda acredita. Apesar de tudo gostamos da magia e da surpresa dos presentes!
    bjs
    Jussara

    ResponderExcluir
  16. Quando criança acreditava no bom velhinho
    ate hoje Natal para mim não perdeu o encanto e a magia.
    Por isso já comecei a postar Natal no meu blog passa tão depressa por isso gosto de curtir um ês antes com minhas doces amizades.
    Linda noite beijos,Evanir.

    ResponderExcluir
  17. Oi Ana Karla
    Também concordo como você, a ajuda, o ato de proporcionar algum tipo de alegria materialmente falando, tem que ser o ano inteiro, e não só nesta época que antecede o natal.
    Acho muito linda esta crença na figura do Papai Noel, incentivei isto com as minhas filhas enquanto pude, mas chega uma hora que não dá mais e temos que encarar a verdade.
    Beijo

    ResponderExcluir
  18. A descoberta, na infancia, foi em grupo! Hilário. A meninada pediu em 1974 bicicletas. Os pais haviam levado seus filhos para escolherem marcas e cor numa loja perto de casa. Pouco antes do Natal, um caminhão parou na casa de uma vizinha cujo unico filho tinha quase 40 anos e deixou umas 10 bikes. Umas espiãs da CIA perceberam a "situação" e soaram o alerta. Planejamos pular o muro e olhar o quartinho dos fundos logo que a vizinha saisse. Plano em ação, várias meninas pularam o muro entre a casa da pirralha Elaine e de D. Carlinda. Vimos atraves da janela algumas bicicletas montadas. Então, combinamos dar um "pega noturno" no dito Papai Noel.

    Meia-noite. O bom velhinho veio. Todas estavam dormindo e não o viram. Apenas no dia seguinte cada uma recebeu a sua bicicleta. Apesar do mistério misterioso, desconfiamos profundamente do Gorducho Natalino.


    Da minha parte, em tempos atuais, nunca contei a verdade para minha filha. Aos 12 anos ela ainda "desconfia". Faz bem para o espírito.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Ana Karla, querida, este é um assunto que haja pano pra manga!!! A minha revelação também foi decepcionante, tal como eu descobri como eu daria um presente para a minha mãe se eu não tinha pai!!! Foi doloroso! Sua ideia foi muito legal! Que tal propor isso numa coletiva, heim? Um grande abraço e um beijão! Fique bem e com Deus!

    ResponderExcluir
  20. Bem interessante esta abordagem, confesso que não fui informado familiarmente da não existencia do bom velhinho.Veio assim natural com a idade.Claro que no meu tempo se vendia mais esta imagem, portanto era mais facil crai-la e preservar.Hoje com as crianças mais sabidas do que tudo e com todas as informações às pontas dos dedos isto fica mais facil e natural. Mas me preocupa o Natal destes que sonham o ano todo e as vezes nem as sobras do ano passado são lhes passado.Acho esta festa desigual embora linda e familiar.
    De minha parte participo do Natal das pessoas que me circulam de uma maneira ou outra, que nem sempre podem alimentar esta fantasia.
    Meu abraço Ana e muita alegria e paz e a voce.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  21. Ana Karla, a magia do natal é maravilhosa. Não mantive o segredo para a minha filha por muito tempo e eu mesma me incumbi de contar. Acho que ela já desconfiava.
    Quanto às outras crianças, procuro sempre participar de alguma ação social, tanto no natal, como durante o ano. Muita paz!

    ResponderExcluir
  22. Oiiii Ana Karla!
    Menina, eu não lembro quando deixei deacreditar em papai noel, mas meus filhos foram descobrindo por si mesmos, pois esperava sempre eles irem dormir e colocava o presente ao pé da cama e quando acordavam era aquela alegria.rsss
    É pura magia!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  23. Oi Ana, enquanto pode-se sonhar, mantem-se o segredo e vive-se a fantasia, e acho que a descoberta vem com o tempo.
    Quanto as músicas, se o ritmo for gostoso, pra mim basta, mesmo que a letra seja uma aberração, mas claro que eu não traduzo, logo não sei o que estão cantando, mas ouvi aquela música, num final de filme e me apaixonei.
    São filmes que venho vendo no Disney Channel com artistas novos e que vem despontando, pra mim pelo menos.
    Beijos, Mauro

    ResponderExcluir
  24. Já não posso dar-te a mão, cheguei tarde
    Entre ruinas procuro o sentido, a razão
    Já não canto aos deuses, não rezo
    Já esqueci o sabor do desprezo, não desprezo

    Tracei um círculo de solidão
    Ausente do meu nome está o chamamento
    Jazem mudas as folhas de silêncio
    Errantes brumas ao sabor do vento

    Percorri um longo e tortuoso caminho
    Moro numa casa da memória no topo da saudade
    Prodígios de mil cores espalhei pelo caminho
    Pintei almas, mentiras, girassóis e singelas verdades




    Boa semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  25. Olá Karla querida!
    Adoro a magia do Natal, pena que nem todas as crianças podem desfrutar dessa magia e encanto. Estava com saudades!!!
    Beijos e fique com Deus!!!

    Simone Souza

    ResponderExcluir
  26. Minha amiga, confesso que tenho gostado cada vez menos dessa época de Natal, a cada ano que passa eu vou me desprendendo mais, me soltando da magia e da alegria que costumava vir com esses dias, afinal a verdadeira Magia do Natal parece mesmo que se desfez completamente, Papai Noel já não é mais o mesmo, pois afinal, se ele não tem como vir pra todos, acho que não vale a pena vir só pra alguns...

    Devemos deixar quietos aqueles que ainda podem acreditar, pois o momento é fugaz!

    Abraço,

    ResponderExcluir
  27. Ana
    muito bacana a forma que cada um tem de enxergar a magia do natal e do bom velhinho.
    Na escola é complicado pois existem as crenças religiosas em torno do assunto.
    Mas a questão da fantasia e do imaginário também é importante para a formação da criança, né.
    O que eu acho cruel é brincar com os sentimentos da criança em questão, por conta dos aspectos financeiros.
    Como que fica a "fantasia" daqueles que veem os amigos e vizinhos ganharem um brinquedo caro, enquanto eles não ganham nada?
    Será que neste caso, não seria mais útil contar a verdade?
    Bjks

    ResponderExcluir
  28. Ana Karla, gostei da forma como você lidou com a situação. Muitas vezes os pais se sentem coagidos a não contar a verdade aos filhos, por medo da quebra da magia, de como ela será recebida.
    A minha preocupação, também não é com as crianças que se alimentam dessa magia e recebem seu presente de natal, mas com as crianças que, ano a ano, sofrem por não receber um presente e começam a achar que o problema é com elas. Mesmo assim, os pais continuam a mentir sobre a existência do papai Noel e ainda chantageiam as crianças por bom comportamento.
    Não sou contra as fábulas infantis, sou contra quando elas passam a interferir negativamente na vida das crianças.
    Beijus,

    ResponderExcluir