quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Tempo





Tempo é aquele que marca agora e marca para sempre.
Tempo decide.
Tempo acompanha.
No tempo da minha avó, os tempos eram outros.
Hoje em dia o tempo inova.
O tempo de hoje é sem tempo
E quando procuro por  ele, ele já foi.
Eu não tenho tempo de pensar no tempo, pois o tempo é curto.
Tenho que viver o tempo.
Viver no tempo.
No tempo certo, eu acerto.
Seu tempo vai chegar, mas pode não dar tempo quando ele chegar.
O tempo é de sol, mas lá o tempo é chuvoso.
Estará bom o tempo para sair?
Tempo bom na sintonia com você.
Tempo alegre, tempo triste.
Maria passou um tempo irritada com João.
Ah, dá um tempo!
Tempo de festas.
Tempo de trocas, braços e abraços.
Faz tempo que não te vejo.
Houve um tempo em que eu não compreendia, mas hoje em dia o tempo é outro.
Corro contra o tempo, mas me sinto engolida por ele.
Mas eu tenho todo tempo do mundo para seguir no tempo calmamente.
(Ana Karla Tenório)


Que horas são, hein?
O tempo aqui é de sol forte.


Bom dia!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Arrepios

Por Que Ficamos Arrepiados E Sentimos Calafrios Quando Temos Medo?


REAÇÃO ANIMAL

Ficamos arrepiados, quando estamos com medo, pelo mesmo motivo que os gatos ficam com os pelos eriçados quando se sentem ameaçados. O princípio psicológico disso é que, inconscientemente, quando achamos que seremos atacados, tentamos parecer os maiores possíveis para assustar o atacante. Nós não temos tantos pelos quanto os gatos, mas os arrepios são um vestígio ancestral de quando éramos peludos.

NO PRINCÍPIO

O ato instintivo de arrepiar os cabelos começou como uma reação ao frio. Quando nosso cabelo fica arrepiado, forma uma camada de ar isolante ao redor do corpo. Mas, em algum ponto da história, milhõesde anos atrás, alguns de nossos antepassados assustaram supostos atacantes arrepiando os cabelos e isso, lentamente, foi estabelecido como um mecanismo de defesa. A herança dessa resposta fisiológica explica porque o medo está associado ao frio. Ficar com o cabelo em pé era inicialmente uma questão de temperatura, e só depois se relacionou com o medo, mas, ainda assim, você pode ter arrepios na espinha, quando sente que algo ruim pode acontecer.

OUTRAS OCASIÕES

Quando nossas expectativas são derrubadas, podemos sentir calafrios também. Eles podem surgir quando temos algum tipo de surpresa ou emoção intensa, até mesmo com músicas, na mudança de volume, ou quando um cantor começa a cantar. As pessoas também costumam ter calafrios nas tonalidades tristes das canções (“Fiquei toda arrepiada!”). Uma das hipóteses é que certos tons imitam um “grito de separação humana” que nos lembram, mesmo que inconscientemente, a perda de um ente querido, resultando em arrepios. Mesmo ouvindo a mesma música sempre, uma pessoa pode ter calafrios ouvindo a mesma passagem por muitas vezes. Isso acontece porque o cérebro pode tolerar milhares de alarmes falsos a fim de nos proteger  em uma ocasião em que o alarme é real.
É por isso que quando sabemos que estamos seguros vendo um filme de terror, por exemplo, os alarmes falsos podem ser uma fonte de prazer. Uma parte do nosso cérebro está dizendo “Ai meu Deus, vou morrer!”, mas a parte consciente está dizendo que está tudo bem. Os arrepios, neste caso, fazem com que nos sintamos bem. (Fonte: Site Você Sabia?)

Eu sinto arrepios quando estou com frio, quando ouço uma música especial, quando leio ou escuto uma história que me impressiona.
Acho essa reação interessante demais.

E hoje que começou a semana, fico toda arrepiada. kkkkkkk

Boa semana!

Xeros.

domingo, 27 de novembro de 2011

SPORT CLUB DO RECIFE

Eu estou na primeira divisão.
É fato.




Valeu SPOR!!!


Respeito a opção de todos, portanto aqui é exigido o mesmo.
A imagem desse post foi retirada do Google.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Supremo





Deus.
Deus fala.
Deus responde.
Preste a atenção e verás.










A todos um ótimo dia e um excelente final de semana.


Lembrando que hoje, em Olinda PE, tem o Arte em Toda Parte e vai até 04 de Dezembro.


Volto na Segunda feira.


Xeros!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Freddie Mercury

São vinte anos da morte de Freddie Mercury.




Saudades!








São muitas as músicas que gosto, mas essa é a minha referência em relação ao Queen/Freddie Mercury.
Ouvi muito.
Curti muito.
Curto muito.






Todas as imagens desse post foram retiradas do Google

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Retratos





Desde que me entendo de gente, que sou fascinada por fotografias.
Sempre fotografei muito.
Aquelas fotos que demoravam dias para saber se prestavam ou simplesmente teriam queimado.
Fotos me passam realidade próxima e a vontade de rever ou mesmo ver aquilo que nunca vi.
Foto passa para mim histórias interessantes, fatos, imaginação, alegria, tristeza.
Gosto das minhas fotos e das fotos dos outros.
Das fotos de revistas, de livros.
Também gosto de chegar na casa de alguém e ver as fotos antigas dos amigos e parentes quando crianças. Fotos dos passeios, das festas, mas tudo na medida por que demais, fica cansativo.
Quando começo a ver minhas fotos eu me transporto no tempo.
Eu me emociono de todo jeito.
Rio-me sempre das graças feitas, choro de alegria. E assim vou indo até que chega ao fim, ou tenho que parar.
Ainda tenho muitas fotos reveladas ou/e impressas.
Gosto muito dessa era digital, mas as fotos antigas, reveladas, me parecem ter mais emoções e espontaneidades do que essas que normalmente fazemos várias poses e somente uma fica e as outras são descartadas.
Acho que não tem a mesma emoção, mas dá para registrar muita coisa boa, muitos momentos surpresa.
Mas gosto das montagens e brincadeiras que podemos fazer com as fotos hoje em dia.
Enfim, amo fotos de todo jeito.


Só um pingo de foto:











Xeros!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Tempo bom

Bom dia!




Sempre assim para trazer os bons fluidos.
Mantenha o pensamento positivo. 
Cumprimente todos com um sorriso no rosto.




Elogie.
Observe.
Escute.
Fique em silêncio alguns instantes e ouça a sua própria voz interior no mais alto grau  de crescimento.
Assim você verá a importância de viver e ser feliz.
Perceberá que o dia é longo para fazer a diferença na vida de alguém e principalmente na sua.




Há tempo.
Há tempo.
Há sempre muito tempo, porém falta a organização.
Não esmague o tempo. 
Viva ele.
Então, vamos tentar?
Ao final do dia, anote ou apenas pense no "tudo" que fez e comece a refletir no que foi positivo e faça-o sempre, dia a dia.


Positivo pra cima, negativo pra baixo.


Valeu?


Volto na segunda feira.
Bom final de semana.
Xeros!!!


Todas as imagens desse post foram retiradas do Google.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Vocabulário Feminino





Se eu tivesse que escolher uma palavra- 
apenas uma -
para ser item obrigatório no vocabulário da mulher de hoje, 
essa palavra seria um verbo de quatro sílabas:

descomplicar. Depois de infinitas (e imensas) conquistas, acho que está passando da hora de aprendermos 
a viver com mais leveza: 
exigir menos dos outros e de nós próprias, cobrar menos, reclamar menos, carregar menos culpa, 
olhar menos para o espelho.

Descomplicar talvez seja o atalho mais seguro para chegarmos à tão
falada qualidade de vida que queremos - e merecemos - ter.

   Mas há outras palavras que não podem faltar no kit existencial 
da mulher moderna. 
Amizade, por exemplo. 
Acostumadas a concentrar nossos sentimentos (e nossa energia...) nas relações amorosas,
acabamos deixando as amigas em segundo plano. 

E nada, mas nada mesmo, faz tão bem para uma mulher
quanto a convivência com as amigas.
Ir ao cinema com elas (que gostam dos mesmos filmes que a gente), 
sair sem ter hora para voltar, compartilhar uma caipivodca de morango 
e repetir as histórias que já nos contamos mil vezes
- isso, sim, faz bem para a pele.
Para a alma, então, nem se fala. 

Ao menos uma vez por mês, deixe o marido ou o namorado em casa, prometa-se que não vai ligar para ele nem uma vez (desligue o celular, se for preciso) e desfrute os prazeres que só uma  boa amizade consegue proporcionar.

E, já que falamos em desligar o celular, incorpore ao seu vocabulário
duas palavras que têm estado ausentes do cotidiano feminino:pausa e silêncio.

Aprenda a parar, nem que seja por cinco minutos, 
três vezes por semana, duas vezes por mês, ou uma vez por dia
- não importa -e a ficar em silêncio. 

Essas pausas silenciosas nos permitem refletir,contar até 100 antes de uma decisão importante,
entender melhor os próprios sentimentos, reencontrar a serenidade e o equilíbrio quando é preciso.

Também abra espaço, no vocabulário e no cotidiano, para o verbo rir. 
Não há creme anti-idade nem botox que salve a expressão de uma mulher mal-humorada. 
Azedume e amargura são palavras que devem ser banidas do nosso dia a dia. 
Se for preciso, pegue uma comédia na locadora,preste atenção na conversa de duas crianças,
marque um encontro com aquela amiga engraçada 
- faça qualquer coisa, mas ria.
O riso nos salva de nós mesmas,cura nossas angústias e nos reconcilia com a vida.
 
Quanto à palavra dieta, cuidado: 
mulheres que falam em regime o tempo todo costumam ser péssimas companhias. 

Deixe para discutir carboidratos e afins no banheiro feminino ou no consultório do endocrinologista. 
Nas mesas de restaurantes, nem pensar. 

Se for para ficar contando calorias,descrevendo a própria culpa e olhando para a sobremesa
do companheiro de mesa com reprovação e inveja, melhor ficar em casa e desfrutar sua salada de alface
e seu chá verde sozinha.

Uma sugestão?
Tente trocar a obsessão pela dieta por outra palavra que,essa sim, deveria guiar nossos atos 24 horas por dia: 
gentileza.

Ter classe não é usar roupas de grife: é ser delicada. 
Saber se comportar
é infinitamente mais importante do que saber se vestir. 

Resgate aquele velho exercício que anda esquecido:aprenda a se colocar no lugar do outro, 
e trate-o como você gostaria de ser tratada,seja no trânsito, na fila do banco, 
na empresa onde trabalha, em casa, no supermercado,na academia.

E, para encerrar, não deixe de conjugar dois verbos que deveriam ser
indissociáveis da vida:sonhar e recomeçar. 

Sonhe com aquela viagem ao exterior, aquele fim de semana na praia,
o curso que você ainda vai fazer, a promoção que vai conquistar um dia, aquele homem que um dia (quem sabe?)
ainda vai ser seu, sonhe que está beijando o Brad Pitt ...
sonhar é quase fazer acontecer.
Sonhe até que aconteça. 

E recomece, sempre que for preciso:seja na carreira, na vida amorosa, nos relacionamentos familiares. 
A vida nos dá um espaço de manobra:use-o para reinventar a si mesma.

E, por último (agora, sim, encerrando), 
risque do seu Aurélio a palavra perfeição.

O dicionário das mulheres interessantes inclui fragilidades,inseguranças, limites.

Pare de brigar com você mesma para ser a mãe perfeita, a dona de casa impecável, a profissional que sabe tudo, 
a esposa nota mil. 

Acima de tudo, elimine de sua vida o desgaste que é tentar ter coxas sem celulite, rosto sem rugas, cabelos que não arrepiam, bumbum que encara qualquer biquíni. 
Mulheres reais são mulheres imperfeitas.
E mulheres que se aceitam como imperfeitas são mulheres livres.
Viver não é (e nunca foi)fácil, mas, quando se elimina o excesso de peso da bagagem 
(e a busca da perfeição pesa toneladas), 
a tão sonhada felicidade fica muito mais possível.

Leila Ferreira

(Formada em Letras e Jornalismo, com mestrado em Comunicação pela Universidade de Londres. Colaboradora da revista Marie Claire, foi repórter da Rede Globo Minas por cinco anos e durante 10 anos apresentou o programa “Leila Entrevista” (Rede Minas e TV Alterosa/SBT), que produziu 13 séries internacionais e por onde passaram mais de 1,6 mil entrevistados.)(Fonte:http://www.leilaferreira.com.br/)




Viver pode ser mais fácil se eliminarmos os obstáculos que sabemos que são desnecessários a nossa vida e partirmos para um objetivo de vida próspera.


A todos um bom dia!


Imagem desse post retirada do Google.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Cultura Pura PE - 11/11-2011

Antes de falar da cultura, destaco o Dia Nacional de Combate a Diabetes.
Diabetes é uma doença caracterizada por aumento de sangue ou glicose no sangue. Uma forma de ajudar a prevenção está relacionada a alimentação e exercícios físicos diariamente.
Sobre a diabetes tem um site que indico que é o SBD.
Nenhuma informação dispensa a consulta médica.






Agora, falando em Cultura, hoje dia 11/11/2011 as 11h, começa a Fliporto em Olinda, Festa Literária Internacional de Pernambuco.
Esse ano tem como tema, Uma Viagem ao Oriente.
No site você encontra toda a programação e informações necessárias para aproveitar a programação que está intensa e cheias de novidades.
A Fliporto vai até o dia 15/11.




Ainda na Fliporto tem a abertura da Coletiva Oito no Sobrado Espaço Cultural que fica na Rua 15 de Novembro, 119 Varadouro. 
Entre os artistas, destaco o artista plástico Marcelo Peregrino que nasceu no Rio de Janeiro, em 1964 de pais Nordestinos. Em 1965, com 1 ano de idade, veio para Olinda, onde vive até hoje.
Começou a pintar em 1986, tendo participado de várias exposições no Estado de Pernambuco e fora dele.
Fez cursos de desenho e pintura com Gil Vicente, João Câmara, José Carlos Viana, entre outros e xilogravura com Samico. (Fonte: http://www.peregrinosamico.com.br/)
Uma exposição imperdível.






E também em Pernambuco, começa hoje o FITO - Festival Internacional de Teatro de Objetos.
Vi muitas propagandas e me pareceu muito interessante.
Os objetos viram personagens.
No site do FITO há todas as informações sobre as apresentações.
Começa hoje, dia 11/11 às 16h30 e vai até o dia 13/11, no Marco Zero em Recife.


Então, quem estiver por aqui aproveitem esses dias culturais.


E para quem curte arquitetura e decoração, tem também pela primeira vez em Olinda a CASA COR, próximo da Fliporto.


Pela primeira vez instalada em Olinda, a Casa Cor Pernambuco 2011 abre, a partir desta quarta-feira (9), para o público com números ousados: são 37 ambientes e 74 arquitetos ocupando sete imóveis da Cidade Patrimônio da Humanidade, todos com vista para o mar, em cerca de 5 mil metros quadrados.

É também em Pernambuco que a mostra nacional encerra sua edição de 2011. “Pernambuco foi escolhido para encerrar as atividades de comemoração dos 25 anos da Casa Cor, o que é uma responsabilidade muito grande para nós”, afirma Rita Rócio, organizadora do evento.(Fonte: NE10)


Casa Cor Pernambuco
De 9 de novembro a 13 de dezembro
Av. Sigismundo Gonçalves, 700 - Olinda
Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (estudantes e maiores de 60 anos)
Informações: (81) 3325.6328 | 3325.2410 (Fonte: NE10)


Um bom final de semana para todos.
Volto na quarta feira.
Xeros

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O que estamos fazendo





Estamos mesmo fazendo algo para que o nosso Planeta consiga realmente respirar?
Até quando vamos achar que temos tempo suficiente para resolver todos os problemas de destruição do Planeta?
Eu pretendo ter netos e ver os bisnetos, quem sabe, mas será que eles terão uma vida longa com tanta destruição e poluição a crescer rapidamente dia a dia?
Por que será que as pessoas falam tanto de preservação, mas não conseguem sequer comprar o estritamente necessário para uma vida tranquila?
Por que será que as pessoas insistem em divulgar que comprou, comprou, comprou e ainda acha que divulgar suas compras é algo grandioso onde vai se mostrar como alguém superior que pode e faz?
É vergonhoso.
É obscuro.
Dizer que faz sem fazer, mostra apenas a capacidade de seus atos. 
Digo, mas faço diferente.
Melhor não dizer, apenas fazer.
Nossa água está acabando.
Nosso ar está cada dia mais poluído.
Nossos animais estão em clemência.
Muitas de nossas crianças estão deixando de brincar, mas não é por que estão amadurecendo rapidamente, e é, mas para se preocuparem com o nosso Planeta.


Comece evitando levar para casa o desperdício.
Separar o lixo.
Economizar água.
Apagar a luz.
Isso é o mínimo que você pode fazer.
Está na hora, mais do que preservar, está na hora de resgatar.
Re-plantar. 


Eu posso não estar aqui no futuro próximo, mas meus netos estarão, e seus filhos vão precisar de um ambiente saudável e vivo.


Xeros!


Imagem desse post retirada do Google

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

LIVRO

Ontem eu "esqueci" o livro As Colinas da Ira de Leon Uris.






Como de costume, de manhã fico em casa com meus afazeres e assistência ao caçula e a tarde vou trabalhar, então durante o dia não tive a oportunidade de "esquecer" o livro, mas a noite, quando fui buscar o mais velho no futebol, entrei pelo supermercado, avistei perto dos caixas de banco um pequeno carrinho de compras abandonado. 
Plim, plim!
Ideia!
Discretamente, larguei lá o livro e saí toda desconfiada para ninguém ver. kkkkkkkk
Deu até um frio na barriga, pois depois fiquei pensando se ali não tinha uma câmera, tal, tal.
Bem, mas o mais importante eu fiz. 
Dessa vez não fiquei olhando de longe, esperando o "achador(a)". Fui logo embora. 
Espero que quem o tenha achado faça bom proveito.
No bilhetinho que deixei na primeira página do livro tinha assim:




O livro fala de um escritor americano que foi a Atenas resolver problemas financeiros, porém se envolveu nos problemas da Segunda Guerra Mundial.


Eu não sou muito boa de resenha, ainda mais de um livro que nem me lembro direito da história, mas achei nesse site uma resenha boa: Setor da Leitura.


Quando penso em resenhas de livros penso logo na amiga Jussara, do blog Palavras Vagabundas, que é mestra nesse assunto.


Leon Uris:
Leon Uris (3 de Agosto de 1924 - 21 de Junho de 2003) foi um escritor americano de religião judaica, conhecido pela exaustiva pesquisa histórica com que preparava as suas novelas e romances. O seu livro mais famoso foi o clássicoExodus, que relata em 600 páginas, de forma épica, os acontecimentos históricos que antecederam a criação do Estado deIsrael, desde o surgimento do sionismo, no final do século XIX, até à independência, em 1948.(Fonte Wikipédia)


Essa é a minha participação na 3ª edição do BookCrossing 


proposto pela Luma do blog Luz de Luma.