sexta-feira, 29 de abril de 2011

Borboletas




"O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você."
Mário Quintana




Para refletir:
Se tratarmos bem as pessoas, essas voltarão sempre a  nos procurar. 
Sentirão sempre o prazer da nossa companhia.




Desejo a todos que por aqui passam um final de semana de 
paz.






XEROS!

Todas as imagens desse post foram retiradas do Google

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Cordel do fogo encantado



Bom dia!


Imagem do site O GRITO, que também fala do término da banda.


Hoje venho homenagear uma banda que deixou de existir em 2010.
Uma pena, pois eles contavam histórias através do cordel.
Como o nome diz, a banda era mesmo encantada e desencantou.
Mesmo assim faço votos de que a banda reveja e volte a encantar novamente essa cultura.


Imagem daqui


Mas voltando ao Cordel do Fogo Encantado, ele se formaram em 1997, através da união de cinco componentes, um grupo cuja composição tinha como base o uso de quatro instrumentos percussivos  e um instrumento harmônico. E essa união deu origem ao Cordel do Fogo Encantado.
O grupo veio do teatro, que montaram uma peça com o nome de Cordel do Fogo Encantado. Em 1999 foram convidados a participar do Festival Rec-Beat Carnaval, como banda e dessa experiência surgiu a banda.
Naná Vasconcelos tem produção e participação em um CD da banda.
Fonte: http://cordelencantado.vilabol.uol.com.br/entrevista1.html

Abaixo deixo alguns vídeos do som do Cordel do Fogo Encantado, que captei no youtube:










quarta-feira, 27 de abril de 2011

Encontro de Blogueiros

Esse post é editado conforme as necessidades e confirmações.


Confirmado.
Nosso próximo encontro de blogueiros será no próximo dia 22 de Maio de 2011, domingo.
Confirmem!
Detalhes de data e hora pelo e-mail.
Deixe o seu aqui.
Xeros!


Lista de blogueiros confirmados:


-Misturação - Ana Karla (Eu)


-Fazendo Meu Caminho - Teresa Cristina


-Casinha de Taipa - Elaine


-Experiência - Lulú


-Jornália do ED

-Maison Gigi - Gisa


-Esse Tal Climatério - Suely


-Somos todos aprendizes - Zilda



terça-feira, 26 de abril de 2011

Música ambiente







O que entendo por música ambiente, é aquela que ao fundo de uma boa conversa toca bem baixinha e quase sempre instrumental.
A "música ambiente" perdeu totalmente o sentido.
Em quantos e quantos lugares públicos, como supermercados, salas de esperas, bares, restaurantes, entre tantos outros, ouvimos qualquer música, quase sempre em volume muito alto?






A exemplo, duas semanas atrás, estive no Feirão de automovéis da Wolkswagen, instalada no Hiper Bompreço de Olinda e mesmo antes de me aproximar, eu já escutava uma musiquinha, dessas que tocam por aí a todo instante, nas alturas. Chamo de noise.
Quando adentrei, aí é que ficou insuportável.
Perguntei logo em voz baixa ao vendedor do que se tratava aquele feirão, e ele, lógico, não entendeu o que eu falei e pediu para repetir.
Perguntei se era um anúncio barato para uma vaquejada.
kkkk
Nem eu me aguentei.
Ele gentilmente, foi até a cabine de som, e conseguiu diminuir um pouquinho.
Ainda incomodada, disse para ele que aquele tipo de música, ainda mais naquele volume afastaria muitos compradores, pois provavelmente só estava agradando a pouquíssimas pessoas que ali estavam, e a algumas vendedoras, que mexiam seus corpinhos com a música.
Porém com toda a gentileza dele, esperei que me mostrasse a proposta. 
Peguei então o cartãozinho dele, onde ele trabalha, agradeci e saí correndo de lá.
Ufa!
Que alívio me distanciar daquele inferno astral!


E assim são em outros estabelecimentos.


Normalmente, como sou eu a incomodada, saio do local ou nem entro.


Serve para barzinhos e restaurantes também. Se estamos em mais de uma pessoa, desejamos conversar, então por que não colocar uma música baixinha e de qualidade?
Aí fica aquela conversa alta, a música explodindo no som, as pessoas nem entendem direito o que um fala ao outro, nem conseguem se concentrar na música.
E que música!!!


Salvo alguns estabelecimentos que conheço, de muito bom gosto, onde há músicas de qualidade e bem baixinhas, possibilitando assim, uma boa conversa e as vezes uma breve pausa para apreciar a música.


Para mim, música é para ouvir ou dançar nas baladas.


No Wikipédia diz assim: 



Música ambiente é um gênero musical que incorpora elementos de vários outros estilos - que incluem jazz,música eletrônica,new age,música contemporânea (música clássica moderna) e até ruído (noise). É identificável, acima de tudo, por "clima", uma atmosfera sutil e envolvente formada a partir de poucos elementos.

Vamos ter um pouco mais de consciência e deixar que cada um decida o que quer escutar no seu próprio fone de ouvidos, pois ninguém é obrigado a escutar a sua música, seja ela qual for.

Lembrei agora dos condomínios, onde o vizinho simplesmente acha que o outro tem obrigação de ouvir a sua música. 
Esse assunto é extenso e vai longe.
Xeros!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Oficina A Musicalidade do corpo do Ator



ESPAÇO TOTEM

Oficina: A Musicalidade do Corpo do Ator: caminhos para a composição cênica com Diana Ramos.

Em maio o Totem estará promovendo a oficina A Musicalidade do Corpo do Ator: caminhos para a composição cênica, ministrada por Diana Ramos. O trabalho parte de elementos rítmicos em direção à construção de um personagem. Nesse processo serão utilizados estímulos sonoros através de instrumentos musicais, da dança, de efeitos sonoros e construções vocais que permitam a criação de partituras cênicas. Propõe partir do "ritmo" estabelecer diálogos para que a música, audível e inaudível, valorizando o texto, a cena e o corpo do ator, estruturando-o e aprofundando seu sentido. A oficina é voltada para atores, contadores de histórias, performers, arte-educadores e estudantes de artes cênicas. A metodologia divide-se em: prática (treinamento físico), improvisações corporais, vocais e textos. Para a realização da oficina o Grupo Totem conta com o apoio do projeto RecorDança e da Associação REVIVA.
Diana Ramos, atriz pernambucana, licenciada em teatro pela UFBA. Trabalha com clown, bufão e teatro físico. Diana associa em suas práticas, componentes de cultura popular, música, contação de histórias e treinamento físico. Nos últimos anos, como componente do Oco Teatro Laboratório, esteve em temporada com espetáculos em diversos estados do Brasil, além de temporadas em Festivais internacionais nos Estados Unidos, Espanha, Peru e Equador. Foi curadora do Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia durante três anos.


Oficina: A Musicalidade do Corpo do Ator: caminhos para a composição cênica, por Diana Ramos.
Espaço Totem: Av. Cruz Cabugá, 514 C – Stº Amaro – Recife, ao lado da sede do grupo Loucas de Pedra Lilás.

Contatos: (081) 88679316; 87324678; 34363739





Informações para divulgação recebidas por e-mail pelo Grupo Totem

Selos

Ganhei uma porção de alegres selos que vieram do blog As palavras que me definem da amiga Kekel.




Obrigada Kekel!

E aproveitando a tantos selos, quero mostrar a todos, o lindo selo que Roberta do blog Luz por Roberta, fez com todo carinho para ofertar aos amigos nessa Páscoa:

Roberta estou muito grata !

XEROS !!!

Segunda Feira



Bom dia Blogosfera!


Após um feriadão desses, de volta as atividades do cotidiano.


Meu feriado foi de muito xadrez e gamão, em Gravatá no interior de Pernambuco.


Vou respondendo todos os comentários e e-mail's.


Agradeço desde já a participação de todos no último post.


Nossa data para o encontro de blogueiros, ainda está sendo decidida por todos, pois no próximo final de semana está muito em cima, no outro final de semana é o das mães. Então acho provável que fique para o dia 14 ou 15 de maio.
Confirmem.



quarta-feira, 20 de abril de 2011

Feriado, feriadão

Diante a tantos feriados, escuto muitos comerciantes se queixarem por fecharem as portas dos estabelecimentos, prejudicando assim o orçamento.
Todos esses feriados, estão perdendo o sentido. 
Ora, como é que numa semana santa, as pessoas se preparam cada vez mais para badalar?
Feriado, feriadão, seja do que for, é sinônimo de agitação.
Talvez se fosse reservado para um descanso, nada mal.
Acho mesmo, que nós brasileiros somos privilegiados com tantos feriados. 
É mesmo necessário fazer uma cidade, um País inteiro parar?
Aqui em Pernambuco, as pessoas já estão eufóricas em passeios, baladas, viagens.
Ainda não encontrei ninguém que tenha mencionado em fazer as vezes da semana santa.
Só vejo supermercados lotados. Uma busca desenfreada atrás dos queridos ovos de páscoa, peixes, bacalhau, vinho entre tantos outros.
É sempre um consumo sem igual.


Ontem foi o dia do Índio e quase não vi homenagem, ou mesmo alguém que mencionasse esse dia.
Visitei um único blog, que falou sobre o índio.


Amanhã é o grande dia de Tiradentes, mas esse está apagado, por que só se enxerga o feriadão.
Se caísse em outro dia, como quase sempre acontece, as pessoas já estariam falando a muitos dias.


Concluindo, ninguém (ou quase ninguém), quer saber do que se trata o feriado, mas curtí-lo da melhor maneira possível.


Eu vou pegar meu ovinho e curtir também, aliás, descansar.



Sarau Poético - Musical

Clique na imagem para ver o banner


27 de Abril de 2011
Um excelente programa cultural, para quem mora em Natal ou para quem vai estar por lá nessa data.
Mais uma grande participação de Yasmine Lemos.

Yasmine Lemos

terça-feira, 19 de abril de 2011

SOMOS TODOS APRENDIZES

Clique aqui


O blog Somos Todos Aprendizes, da minha querida conterrânea Zilda, completou dois anos e está sorteando um livro, na temática do seu blog.
Basta comentar no blog dela até o dia 30 de abril e concorrer.
Além disso quem não conhece o blog, tem que dar uma passadinha por lá, pra ver como é bacana.
Ela é muito acolhedora e simpática.
Eu já estou concorrendo e você?

Xeros

Dia a dia

Bom dia!


Me sinto hoje reflexiva.
Começando com o dia de...
Dia de que?
rs
Todo dia agora é dia de alguma coisa.
Como disse minha amiga: "só falta agora o dia do cagão"
Mas é verdade, todos os dias tem um dia de alguma coisa.
Enche o saco.
Então vou dando foco ao que tenho interesse e que acho que tem importância. Não desmerecendo nenhum dia, mas se eu for homenagear todos, meu blog só vai ter post de dias comemorativos.
Não é verdade?


E eu gosto de tratar de assuntos sobre educação, crianças, poemas, cultura, cotidiano em geral.


Então vamos que vamos que o tempo urge!!!


O dia aqui, mais uma vez é de chuva. 
Parece que aqui o inverno está chegando.


Xeros!


Hoje estou por aqui, no Maison Gigi

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Livro Infantil



Hoje é dia nacional do livro infantil e por que hoje?



O dia 18 de abril foi instituído como o dia nacional da literatura infantil, em homenagem à Monteiro Lobato.
“Um país se faz com homens e com livros”. Essa frase criada por ele demonstra a valorização que o mesmo dava à leitura e sua forte influência no mundo literário.
Monteiro Lobato foi um dos maiores autores da literatura infanto-juvenil, brasileira. Nascido em Taubaté, interior de São Paulo, em 18 de abril de 1882, iniciou sua carreira escrevendo contos para jornais estudantis. Em 1904 venceu o concurso literário do Centro Acadêmico XI de Agosto, época em que cursava a faculdade de direito.
Como viveu um período de sua vida em fazendas, seus maiores sucessos fizeram referências à vida num sítio, assim criou o Jeca Tatu, um caipira muito preguiçoso.
Depois criou a história “A Menina do Nariz Arrebitado”, que fez grande sucesso. Dando sequência a esses sucessos, montou a maior obra da literatura infanto-juvenil: O Sítio do Picapau Amarelo, que foi transformado em obra televisiva nos anos oitenta, sendo regravado no final dos anos noventa.
Dentre seus principais personagens estão D. Benta, a avó; Emília, a boneca falante; Tia Nastácia, cozinheira e seus famosos bolinhos de chuva, Pedrinho e Narizinho, netos de D. Benta; Visconde de Sabugosa, o boneco feito de sabugo de milho, Tio Barnabé, o caseiro do sítio que contava vários “causos” às crianças; Rabicó, o porquinho cor de rosa; dentre vários outros que foram surgindo através das diferentes histórias. Quem não se lembra do Anjinho da asa quebrada que caiu do céu e viveu grandes aventuras no sítio?
Dentre suas obras, Monteiro Lobato resgatou a imagem do homem da roça, apresentando personagens do folclore brasileiro, como o Saci Pererê, negrinho de uma perna só; a Cuca, uma jacaré muito malvada; e outros. Também enriqueceu suas obras com obras literárias da mitologia grega, bem como personagens do cinema (Walt Disney) e das histórias em quadrinhos.
Na verdade, através de sua inteligência, mostrou para as crianças como é possível aprender através da brincadeira. Com o lançamento do livro “Emília no País da Gramática”, em 1934, mostrou assuntos como adjetivos, substantivos, sílabas, pronomes, verbos e vários outros. Além desse, criou ainda Aritmética da Emília, em 1935, com as mesmas intenções, porém com as brincadeiras se passando num pomar.
Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948, aos 66 anos de idade, no ano de 2002 foi criada uma Lei (10.402/02) que registrou o seu nascimento como data oficial da literatura infanto-juvenil.
Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola

Imagem desse post retirada do Google



Selos


Com grande alegria que recebi dois selos.

O primeiro de Viviane do blog Balaio da Vivi


O segundo de Tuka do blog KTRALHAS



Viviane e Tuka, estou muito agradecida por vocês lembrarem de mim e presentear-me com esses selos.

Deixo aqui para todos os meus seguidores com o mesmo carinho que os recebi.

Xeros!



Estradando!!!




Pense numa pequena viagem tenebrosa que acabei de fazer... Vim dirigindo meu carro pela BR 232 no trecho Gravatá/Recife: Chovendo, à noite, e pra completar minha filha de três anos comigo – ressalto isso por que uma vidinha dessas é de uma responsabilidade sem igual, né? Para se ter uma idéia da tensão que eu estava passando. Por que estou chamando essa viagem de tenebrosa? Por que só hoje eu percebi todos os problemas da 232: não tem um pingo de iluminação, zero sinalização para as curvas e um mundo de buracos, onde se tem duas opções, tirar a atenção do todo e olhar só para o chão, desviando dos buracos, ou cair neles arriscando estourar um pneu (ou mais de um), ou ainda quebrar o carro...Eu claro caí em todos os que apareceram no meu caminho, e não foram poucos, ressalto!
E lá fui eu pela faixa da direita, a 80 Km por hora, com os olhos arregalados, tão arregalados que meia hora depois lembrei de piscar e não consegui, deu cãibra nas pálpebras. A concentração era tanta na estrada que entrei num transe e achei que aquela era a estrada que dava no inferno! Ou já era um dos caminhos do inferno! Por que só o diabo mesmo para colocar você numa situação tão avessa como esta! Pra completar, quando chegamos em Recife...muita chuva....”poças” d’água que fazem os ases da direção de plantão morrerem de medo dessas “aguinhas” e fazerem o trânsito literalmente PARAR – em pleno domingo na Av. Recife – eu devo merecer: vim de uma estrada dos diabos que me levou ao inferno! That’s all!!!!
Ah! Mas alguém pode me perguntar: minha filha, por que você não saiu de Gravatá mais cedo? Responderei: Dei um cochilo e, perdi a hora, foi mal!

Ana Paula Monteiro Tenório, cidadã Brasileira e minha irmã.
Após passar um tranquilo final de semana no interior, passou por esse estresse, causado também pela estrada.
Sabemos que a responsabilidade de transportar uma criança é grande e por isso a tensão aumentou.
Então vamos mesmo prestar a atenção e ter os devidos cuidados, ok?



Todos sabem que BR precisa de cuidados, manutenção.
Alôôô! Qualquer pessoa sabe disso.
Então responsáveis, vamos dar um jeito nessa situação, pois nós que conhecemos a estrada, conseguimos ter um certo cuidado, mas nessa BR passam muitas e muitas pessoas que não conhecem.

Imagem desse post foi retirada do Google e a crônica foi autorizada pela autora.

domingo, 17 de abril de 2011

Haja Capim



No Curso de Medicina, o professor se dirige ao aluno e pergunta:_*

-Quantos rins nós temos?
-Quatro! - Responde o aluno.
-Quatro? - Replica o professor, arrogante, daqueles que sentem prazer em
tripudiar sobre os erros dos alunos.

-Traga um feixe de capim, pois temos um asno na sala. - ordena o professor
a seu auxiliar.
-E para mim um cafezinho! - Replicou o aluno ao auxiliar do mestre..

O professor ficou irado e expulsou o aluno da sala. O aluno era,
entretanto, o humorista _Aparício Torelly Aporelly_
(1895-1971), mais conhecido como o 'Barão de Itararé'.

Ao sair da sala, o aluno ainda teve a audácia de corrigir o furioso
mestre:

-O senhor me perguntou quantos rins 'nós temos'.
'Nós' temos quatro: dois meus e dois seus. 'Nós' é uma expressão usada
para o plural.
Tenha um bom apetite e delicie-se com o capim.

A vida exige muito mais compreensão do que conhecimento!

1.*Às vezes as pessoas, por terem um pouco a mais de conhecimento
ou 'acreditarem' que o tem (ADOREI ESSA!) , se acham no direito de
substimar os outros...
*

viva a humildade............
E haja capim!!!



Esse me foi enviado pela minha queridíssima amiga Sônia Notaro, a quem tenho um apreço enorme. Obrigada Sônia!


Imagem desse post foi retirada do blog História Para Criança Ler, Ouvir e Sonhar, que tem lindas histórias para crianças.


XEROS!

sábado, 16 de abril de 2011

Programa Família no Museu

Clique para visualizar 

Programa Família no Museu com Abril pro Vinil.
Dia:17-04-2011
Das 13 ás 17 horas
No Museu do Homem do Nordeste
Na Av. 17 de Agosto, 2187  Casa Forte

É ou não é um excelente passeio?

Bom final de semana.

Xeros!

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Fases da minha vida - 2ª Fase


Quem poderia imaginar que uma coisinha fôfa como essa, seria tão sapeca?
Pois é, sei que era muito alegre e divertida, mas não consigo me lembrar desse trabalho todo, que dei quando criança.

Eu só queria ser criança saudável e mais nada.
Será que eu não podia?
Podia sim.
Sempre fui muito protegida pelo meu pai. Bem sei que por isso, despertava ciúmes entre as crianças e adultos.
Ainda hoje, sinto um paparicado da parte dele.
Minha mãe, coitada, depois de quatro crianças, aguentar mais uma.  
Ah, sem falar que eu fiz xixi na cama até os dez anos de idade (chiiiii, não conta aos meus filhos).
Pois é, além desse xixi diariamente ao lado da minha irmã(coitada também), eu acordava sempre as 5hs e no meio daquele xixi todo, eu ficava picando papel, dobrando.

Pulei muito muro da vizinhança, voltando do colégio para a casa. 
Era mais perto ! rs

Não lembro de ser uma menina desobediente. 
Aliás, quem era doido de não obedecer pai e mãe naquela época?!!
 E no colégio, eu pintei e bordei, nos dois sentidos.

Mas sempre fui muito divertida e querida entre os amigos, professores e funcionários do colégio.


Essa é a minha participação da blogagem coletiva de



quinta-feira, 14 de abril de 2011

Brinquedos e brincadeiras



Aqui eu tive aula com o pequeno. rs



Estava a recordar das minhas brincadeiras quando criança e dos brinquedos.
Recordo bem das brincadeiras de roda, academia(amarelinha), pega-pega, esconde esconde, elástico, entre outras maravilhosas. 
E dos brinquedos, lembrei das bonecas, dos jogos como damas, xadrez, dominó, bingo(loto), Genius e outros mais.


Mas o que me fez pensar nisso tudo, é que tenho visto, principalmente aqui em minha casa, que a fartura de brinquedos é tão grande, que as crianças não sabem valorizar, nem mesmo brincar, pois são tantos que acabam sem se interessar por nenhum.
Aqui, os jogos eletrônicos como vídeo game, só são liberados na sexta feira após as tarefas, sábados e domingos. E ponto final.
Eles já estão acostumados e assim procuram outras atividades como montar quebra cabeça, jogar damas, xadrez, cartas, leitura, desenhos, massinhas, tintas...sem falar nas brincadeiras no hall do prédio.
Eles acabam achando muito divertido e eu acho bastante progressivo em todos os sentidos.


Vejo muito, as crianças ganharem lindas lembrancinhas nos aniversários, mas quando chegam em casa, brincam um pouquinho e no outro dia nem lembram mais.


Eu quando voltava de aniversários, costuma trazer o balão para casa e esse durava dias. Jogava pra cima e me divertia de montão. 
Com apenas um único balão. 
Ah, e tinha o maior cuidado para não estourar.
kkkkkkkkkk


Hoje a graça é estourar todos os balões da festa.


Mudou tudo mesmo.


Fico olhando a poluíção sonora e visual de cada brinquedo e penso se tudo isso não é prejudicial.


Estou apenas acompanhando. rs


Xeros!



terça-feira, 12 de abril de 2011

Chato de Galochas







"Falo para os mais jovens: galocha era um protetor de borracha que se colocava em cada pé do sapato em dias de chuva para a água não encharcar o pé do distinto.
O carioca, na sua alegria, inventou que o verdadeiro chato, usava galochas em dias normais, só para chegar sem fazer barulho. Quando a gente se dava conta, ele já estava ao lado..."(Artur da Tavola)


Eu falo demais isso: "chato de galochas", mas não sabia na verdade o que realmente era.
As vezes, os meus me enchem o saco, ou estou mesmo com pouca paciência, falo logo que é um "chato de galochas". rs


Quem não vê graça em nada, é pessimista, repete várias vezes a mesma coisa, se acha muito inteligente, conta muitas vantagens, tem sempre argumento para tudo... é um chato de galochas.


Xeros!


Imagem retirada do Google

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Sem obrigações.

Ei Psiu!

É você mesmo.

Não se sinta obrigado(a) em me seguir, só por que te sigo.
Não, não, não.
Se te sigo, certamente é por que no teu blog há o que me interesse.
Não vou negar, que há quem me siga, porém  nem gosto tanto do blog, mas sinto um carinho tão grande, que não deixaria de ser uma seguidora.
Mas, você que me segue, espero sempre corresponder as suas expectativas.
O foco do meu blog, como o nome já diz, é totalmente misturado.
Então bem sei, que nem todos tem o interesse por todos os posts.
Faço o melhor para meus leitores.
E eu adoro blogar.
Sem falar das vezes que te visito e não recebo nem uma respostinha pelo e-mail.
Será que estou sendo inconveniente?
Como não sei, a partir de hoje, continuarei a visitar muitos blogs dos quais gosto, mas não vou mais expor meus comentários, pois me sinto ignorada, em tantas vezes que vou no mesmo blog e não vejo reciprocidade.
Sendo assim, penso eu, que estou incomodando e não mais deixarei comentários nesses blogs.

Não faço o tipo "melosinha", mas sei que sou educada naturalmente.

Não gostaria de fazer um post assim, mas estou tão chateada, há tanto tempo, que resolvi desabafar um pouco.

Desculpem-me se estou sendo grosseira, mas precisava falar.


Desejo a todos, a todos mesmo, com muito carinho que tenham uma semana de paz.

Xeros!